Bolsas

Câmbio

PSDB pede vaga de Bonifácio na CCJ; deputado permanece na relatoria, diz presidente do colegiado

BRASÍLIA (Reuters) - A bancada do PSDB na Câmara pediu de volta a vaga ocupada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pelo deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), relator da denúncia contra o presidente Michel Temer, mas o presidente do colegiado, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), garantiu que o deputado permanecerá na relatoria.

Para isso, no entanto, Bonifácio precisará ocupar uma cadeira a ser cedida por algum outro partido no colegiado. Segundo uma fonte consultada pela Reuters, há siglas interessadas em ceder espaço ao deputado.

“A escolha do deputado federal Bonifácio de Andrada teve critérios próprios e já amplamente divulgados, sem motivação partidária. Portanto, ele permanecerá relator caso se mantenha na CCJ pelo PSDB ou qualquer outro partido”, disse Pacheco por meio de nota.

Mais cedo, Bonifácio reuniu-se com lideranças do PSDB e o presidente interino do partido, senador Tasso Jereissati (CE), ocasião em que o relator foi informado da intenção do partido de desligá-lo da vaga na CCJ.

“Colocamos para ele (Bonifácio) a dificuldade –-e ele entendeu essa dificuldade-– que existe de ele relatar essa matéria pelo PSDB em função das divergências internas que nós temos na bancada”, disse o líder tucano na Câmara dos Deputados, Ricardo Tripoli (SP).

Pelas regras regimentais, os partidos --e não os deputados-- é que detém as vagas nas comissões. O PSDB, que passa por uma divisão interna cada dia mais evidente, decidiu nesta quinta-feira sugerir que Bonifácio seja acolhido por outra sigla para seguir relatando o caso após reunião de dirigentes do partido com o deputado.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos