ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Localiza tem lucro líquido recorde de R$139,5 mi no 3º tri

07/11/2017 11h53

SÃO PAULO (Reuters) - O lucro líquido da Localiza subiu 34,3 por cento no terceiro trimestre, para o recorde de 139,5 milhões de reais, impulsionado por forte aumento na receita com aluguéis de carros e venda de seminovos, informou a empresa de locação de veículos e de gestão de frotas na noite de segunda-feira.

O resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado cresceu 31,8 por cento na mesma comparação, para 332,3 milhões de reais.

Os resultados ajustados do terceiro trimestre excluem gastos não recorrentes relacionados à aquisição das operações da Hertz Brasil e da integração de 17 agências franqueadas, no valor de 21,5 milhões de reais. A empresa disse que outros 60 milhões de reais de gastos não recorrentes, relativos à incorporação da Hertz, deverão incorrer no quarto trimestre.

A receita líquida consolidada da Localiza no terceiro trimestre subiu 39,2 por cento ano a ano, para 1,563 bilhão de reais, com crescimento de 25,4 por cento nas receitas líquidas com aluguéis.

Já a receita líquida com seminovos subiu 51,5 por cento, com crescimento de 37,8 por cento no volume de vendas e de 10 por cento no preço médio dos carros vendidos.

Os resultados foram considerados sólidos por analistas do Credit Suisse, e as ações da empresa eram destaque de alta no pregão desta terça-feira.

No caso do Ebitda ajustado, o resultado reportado ficou 8 por cento acima do esperado pelo banco, enquanto o lucro foi 3 por cento maior que o projeto pelos analistas do Credit Suisse.

Às 11:18, as ações da Localiza subiam 4,9 por cento, a 59,97 reais.

FROTA

A companhia encerrou o terceiro trimestre com frota de 185.390 carros, aumento líquido de 33.272 carros no trimestre. Esse número inclui os carros que vieram da aquisição da operação da Hertz.

A relação de endividamento líquido sobre Ebitda ficou em setembro em 2,6 vezes, ante 2,1 vezes no fim de 2016.

(Por Raquel Stenzel, com reportagem adicional de Flavia Bohone)

Mais Economia