Bolsas

Câmbio

Bovespa cai 1% com cautela por reforma da Previdência e de olho em balanços

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista recuava pelo segundo pregão seguido nesta sexta-feira, com o tom de cautela predominando diante de receios em relação ao trâmite da reforma da Previdência e ainda de olho na divulgação de balanços.

Às 11:56, o Ibovespa caía 1,16 por cento, a 72.085 pontos, após recuar 1,93 por cento na véspera. O giro financeiro era de 1,71 bilhão de reais.

Embora a possibilidade de votar um texto da reforma da Previdência ainda este ano tenha voltado à tona, ainda há receios sobre a habilidade do governo em articular a maioria necessária para aprovar a medida e sobre o teor da versão que conseguiria passar no Congresso.

"A reforma da Previdência agora pode ser votada ainda em 2017, mas não se tem muita ideia do que pode ser discutido e aprovado", disse o economista-chefe da corretora Modalmais, Alvaro Bandeira, em nota a clientes.

Ainda ajudando o tom de cautela com a cena política, o presidente licenciado do PSDB, senador Aécio Neves (MG), retirou na véspera o senador Tasso Jereissati (CE) do comando interino do partido, em movimento que acontece num momento de racha interno do PSDB. Parte dos tucanos, entre eles Tasso, é favorável ao desembarque do partido do governo federal, enquanto outra parcela, incluindo Aécio, defende a permanência.

Além das incertezas com o cenário interno, o exterior também se soma à cautela, conforme aumentam os receios em relação ao andamento da reforma tributária nos Estados Unidos, o que pressionou o mercado acionário em Wall Street na véspera e segue no radar.

DESTAQUES

- BRF ON recuava 3,74 por cento, anulando os ganhos iniciais, quando chegou a subir 1,74 por cento na máxima, tendo como pano de fundo o resultado do terceiro trimestre que mostrou lucro abaixo do esperado. A empresa de alimentos reportou lucro líquido de 138 milhões de reais no terceiro trimestre, abaixo da estimativa de consenso da Thomson Reuters de 178 milhões de reais.

- CEMIG PN tinha queda de 3,43 por cento. Como pano de fundo estava o anúncio da elétrica de programa para quitação de 588 milhões de reais em ICMS, que impactará negativamente o Ebitda e o lucro do terceiro trimestre em aproximadamente 588 milhões e 388 milhões de reais, respectivamente.

- CYRELA ON perdia 0,42 por cento. Como pano de fundo estava o resultado do terceiro trimestre que mostrou prejuízo de 6,8 milhões de reais, afetado por uma queda forte nas receitas, apesar de aumento nas vendas contratadas.

- ELETROBRAS ON caía 3,33 por cento e ELETROBRAS PNB recuava 5,53 por cento, ampliando as perdas da véspera após o BNDES divulgar as regras básicas para o leilão de privatização de seis distribuidoras de eletricidade da estatal, prevendo ajustes financeiros para acomodar uma dívida de quase 21 bilhões de reais.

- ECORODVIAS ON subia 0,43 por cento, após reportar resultado do terceiro trimestre que mostrou crescimento de 86 por cento no lucro líquido, para 125 milhões de reais. O destaque do resultado, segundo analistas da Coinvalores, foi a melhora da margem, em decorrência de evolução na receita, aliada a um controle de despesas.

- PETROBRAS PN tinha baixa de 0,36 por cento e PETROBRAS ON recuava 0,69 por cento, em sessão de leves variações para os preços do petróleo no mercado internacional.

- VALE ON caía 0,46 por cento, em linha com o movimento dos contratos futuros do minério de ferro na China.

(Por Flavia Bohone)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos