Bolsas

Câmbio

"Nunca levantei a mão para ser candidato e não sou candidato a nada", diz Huck

SÃO PAULO (Reuters) - O apresentador Luciano Huck afirmou nesta segunda-feira que não será candidato a presidente da República na eleição do ano que vem, depois de seu nome ser ventilado como possível postulante ao Palácio do Planalto em 2018.

"Eu nunca levantei a mão para ser candidato e eu não sou candidato a nada", disse Huck a jornalistas, após participar de evento da revista Veja, em São Paulo.

"Minha reflexão desse fim de semana foi tentar entender o que me colocou nessa situação. Como vinha dizendo, pelo meu trabalho eu viajo muito e vendo como esse país tá desigual começou a me despertar uma vontade de fazer alguma coisa... A bandeira que levantei e sigo levantando é a gente se aproximar", acrescentou.

Em artigo publicado pelo jornal Folha de S.Paulo também nesta segunda-feira, o apresentador da TV Globo afirma que pretende atuar pela renovação da política e pela busca de soluções para o país, mas descartou a candidatura à Presidência no pleito do próximo ano.

"Com a mesma certeza de que neste momento não vou pleitear espaço nesta eleição para a Presidência da República, quero registrar que vou continuar, modesta e firmemente, tentando contribuir de maneira ativa para melhorar o país", escreveu Huck.

"Contem comigo. Mas não como candidato a presidente", finalizou.

O nome do apresentador vinha sendo citado como possível candidato em meio a um cenário ainda incerto para a eleição presidencial do ano que vem. Pesquisas de intenção de voto têm apontado o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como preferido do eleitorado a pouco menos de um ano da eleição. Já condenado em primeira instância em processo na operação Lava Jato, no entanto, é incerto se Lula poderá ser candidato.

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que está em processo de troca de partido para disputar o Planalto, tem aparecido em segundo nas pesquisas, à frente de outros nomes, como o da ex-senadora Marina Silva (Rede), do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) e do ex-ministro Ciro Gomes (PDT).

Na rápida entrevista que deu a jornalistas em São Paulo, Huck defendeu o voto distrital --no qual parte do Legislativo é escolhido em eleição majoritária em distritos-- e candidaturas de pessoas não filiadas a partidos em eleições municipais. Também se posicionou a favor do fim do financiamento empresarial de campanha.

(Por Eduardo Simões e Natália Scalzaretto)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos