Bolsas

Câmbio

Padilha admite que Temer discutiu semipresidencialismo e diz que governo pode apoiar proposta

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, admitiu nesta quarta-feira que o presidente Michel Temer teve reuniões com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, sobre uma minuta  de uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que institui o semipresidencialismo como regime de governo.

Padilha, entretanto, disse que não tem conhecimento aprofundando sobre o tema porque não teve acesso à minuta da PEC referente ao assunto que circula na praça dos Três Poderes.

Ainda assim, o ministro destacou que "todo mundo" sabe que Temer vê com bons olhos a adoção do semipresidencialismo. Ele até fez uma comparação, ao afirmar que o presidente tem agido com o Congresso como um semiparlamentarismo.

Padilha afirmou que, dependendo do teor da proposta, o Palácio do Planalto governo poderá apoiar a mudança de regime de governo.

DELAÇÕES

Sobre a possibilidade de uma delação do ex-ministro Geddel Vieira Lima, o ministro disse que o presidente tem dito não ter nenhum temor em relação a uma eventual colaboração dele.

Padilha também disse não ver nenhum indicativo de que Geddel possa fazer uma delação premiada.

As declarações do ministro foram dadas em entrevista coletiva após fazer um balanço das ações do Conselho Nacional para a Desburocratização – Brasil Eficiente.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos