Bolsas

Câmbio

Vice-líder do governo não acredita que Previdência possa ser votada na próxima semana

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O vice-líder do governo na Câmara Beto Mansur (PRB-SP) disse nesta quarta-feira não acreditar que a reforma da Previdência seja votada na Casa na próxima semana.

Para o deputado, conhecido pela contabilidade de votos do governo em temas polêmicos, a reforma exige uma abordagem mais “conservadora”. Por isso mesmo, acredita que ela tem mais chances de ser votada na semana seguinte, entre 4 e 8 de dezembro.

“Não é fácil de você hoje computar (os votos) e saber se você consegue os 310 (votos)”, disse.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), é necessário o voto de pelo menos 308 dos 513 deputados em dois turnos de votação.

Enquanto conversava com jornalistas, Mansur segurava envelopes com o levantamento dos votos a favor da reforma, recém-colhido de deputados responsáveis por conversar com os colegas das bancadas estaduais.

O vice-líder disse que os dados serão contabilizados e levados ao jantar de domingo com a base aliada, o presidente Michel Temer e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Mais cedo, Maia disse que a proposta de mudança nas regras previdenciárias poderia ter “condições” de ser votada “nas próximas semanas”.

O líder do governo na Casa, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou que o prazo limite para votar a reforma da Previdência neste ano vence na penúltima semana de trabalhos no Congresso, já que os últimos dias de sessões do Legislativo serão dedicados à votação do Orçamento. Na prática, a declaração de Ribeiro significa dia 15 como data limite.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos