Ex-funcionário do Twitter se responsabiliza por desativação da conta de Trump

Por David Ingram

SAN FRANCISCO (Reuters) - Um alemão se apresentou como o ex-funcionário do Twitter que desativou a conta do presidente norte-americano Donald Trump por 11 minutos este mês em seu último dia de trabalho na rede social.

O site de notícias de tecnologia TechCrunch publicou uma entrevista na quarta-feira com Bahtiyar Duysak, nascido e criado na Alemanha e de raízes turcas, que era funcionário temporário do Twitter em San Francisco, disse o site.

Duysak, que anteriormente não havia sido identificado como a pessoa que estava por trás da desativação da conta de Trump, disse à TechCrunch que ele considerava o ocorrido um "erro" e nunca pensou que a conta seria desativada.

Não foi um ato planejado, afirmou. Em vez disso, ele disse, a chance de encerrar a conta caiu em seu colo perto do fim do contrato, e ele decidiu aproveitá-la.

"Há milhões de pessoas que agiriam contra ele se tivessem a possibilidade. No meu caso, foi apenas aleatória", disse Duysak em um vídeo da entrevista postado online.

Duysak é um ex-voluntário de segurança em um centro comunitário muçulmano na Califórnia, informou o BuzzFeed. Trump tem criticado os muçulmanos, e pediu durante a campanha eleitoral de 2016 uma "proibição total e completa" da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos.

A desativação da conta do Trump em 2 de novembro provocou preocupações entre os usuários da rede social sobre quanto poder os funcionários têm sobre contas sensíveis e se o abuso de seu poder poderia causar s a incidentes internacionais.

O Twitter não confirmou se Duysak era o ex-funcionário em questão, mas declarou que está tomando "uma série de medidas para evitar que um incidente como esse aconteça novamente".

Duysak não esclareceu completamente o incidente. Perto do fim de seu último dia na empresa, um alerta chegou a ele de que alguém havia denunciado a conta de Trump por uma violação não especificada, disse ele.

O alemão então iniciou o processo de desativação, disse o TechCrunch, embora a conta não tivesse sido desativada até horas mais tarde. Nem Duysak nem o TechCrunch explicaram o atraso.

(Por David Ingram)((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447745))REUTERS TH RBS

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos