Bolsas

Câmbio

Se eu for candidato, existe sim possibilidade de ter apoio do governo, diz Meirelles

  • Alan Marques/ Folhapress

    O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (à esq.) e o presidente Michel Temer

    O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (à esq.) e o presidente Michel Temer

BRASÍLIA, 14 Dez (Reuters) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quinta-feira (14) que pode sim ser o candidato do governo, caso decida participar da corrida pela Presidência da República no ano que vem.

"Eu vou tomar decisão sobre minha possível candidatura (...) cerca de março, começo de abril do próximo ano", disse Meirelles em entrevista à rádio Bandnews. "A partir daí, existe sim possibilidade, e vamos ver como se desenvolve o quadro, de eu ter o apoio do governo", completou.

Leia também:

Ao ser questionado se o flerte pelo comando do Executivo poderia dificultar a aprovação da reforma da Previdência no Congresso, o ministro disse não acreditar que congressistas irão se posicionar contra a matéria para que ele não seja candidato, já que "forças que apoiam a reforma são muito diversas".

Se a economia der certo, como acredito que vai dar, e se eu de fato tomar uma decisão nesse sentido, acredito até que serve para reforçar, para fazer aglutinação maior ainda de forças e ter mais um polo de movimento a favor dessas reformas dentro de uma perspectiva futura
Henrique Meirelles

Meirelles afirmou que, em seu eventual governo, manteria a agenda de reformas para elevar a produtividade da economia do país, além de lutar por medidas para dar continuidade ao processo de ajuste fiscal e modernização do ambiente econômico, que não puderam ser implementadas ainda.

Após tentar mobilizar parlamentares para garantir a aprovação da reforma da Previdência ainda neste ano, o governo reconheceu nesta quinta-feira que a votação ficará para fevereiro.

Meirelles já tinha defendido mais cedo neste mês que o candidato do governo à Presidência terá de defender o legado dessa gestão, incluindo outras reformas além da Previdência, e que se beneficiará da melhora da economia em breve.

Em entrevista à "Folha de S.Paulo", ele também pontuou que o governo terá um nome para 2018, mas que não será o do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

(Por Marcela Ayres; Edição de Iuri Dantas)

Furar fila e comprar pirata são as corrupções do dia a dia do brasileiro

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos