Bolsas

Câmbio

China pede que empresas de energia cortem suprimento de gás para algumas indústrias

PEQUIM (Reuters) - O planejador estatal da China informou nesta segunda-feira que pediu às gigantes nacionais de energia CNPC, Sinopec e CNOOC para reduzirem o suprimento de gás natural a algumas indústrias em um total de cerca de 15 milhões de metros cúbicos por dia.

A decisão ocorre em meio a uma escassez de gás na segunda maior economia do mundo, depois de uma campanha ambiental de Pequim que levou milhões de famílias a trocarem o poluente carvão por gás em sistemas de aquecimento.

O governo havia dito anteriormente que o abastecimento da indústria seria cortado, mas o anúncio desta segunda-feira --cobrindo fabricantes de produtos como químicos, metanol e fertilizantes-- dá uma indicação do tamanho dessas reduções.

Meng Wei, porta-voz da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC, na sigla em inglês), também disse nesta segunda-feira que o governo havia realizado uma coordenação junto às três principais empresas de energia para aumentar a oferta, aumentando a produção de gás, elevando as importações e acelerando a construção de infraestrutura.

Wei acrescentou que a China planeja comprar 3,5 bilhões de metros cúbicos de gás natural liquefeito em mercados estrangeiros, além de seu plano original de importar 24,5 bilhões de metros cúbicos durante o inverno.

(Por Muyu Xu e Josephine Mason)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos