Bolsas

Câmbio

Agronegócio do Brasil tem 2º maior superávit da história em 2017; Carne Fraca teve impacto

BRASÍLIA (Reuters) - O agronegócio brasileiro registrou em 2017 o segundo maior superávit da história e contribuiu com a balança comercial do país, mas o resultado poderia ter sido melhor não fossem as consequências da operação Carne Fraca, da Polícia Federal, afirmou nesta terça-feira o Ministério da Agricultura.

O agronegócio nacional obteve no ano passado, segundo o ministério, 81,86 bilhões de dólares em superávit, acima dos 71,31 bilhões de 2016 e inferior apenas aos 82,91 bilhões de 2013.

No total, o agronegócio do país exportou 96,01 bilhões de dólares em 2017, alta de 13 por cento.

"Tenho certeza que se não tivesse a Carne Fraca, tínhamos andado mais, porque não teríamos tido as interrupções e as preocupações que tivemos no mercado", afirmou o ministro Blairo Maggi durante coletiva de imprensa na sede do Ministério, em Brasília (DF).

Deflagrada em março do ano passado, a Carne Fraca jogou o setor de proteínas do Brasil em uma grave crise de credibilidade, com denúncias de irregularidades na fiscalização de frigoríficos, o que levou muitos países a suspenderem temporariamente as compras dos produtos nacionais.

Ao longo do ano, porém, as vendas se recuperaram e deram importante contribuição para a performance do agronegócio.

As carnes ficaram em segundo lugar em valor exportado em 2017, com 15,47 bilhões de dólares, alta de 8,9 por cento. Em primeiro aparece o complexo soja, com 31,72 bilhões --a oleaginosa alcançou no ano passado uma produção recorde, de 114 milhões de toneladas.

AJUDA

Segundo o secretário de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Odilson Silva, "se não fosse o agronegócio, a balança comercial brasileira seria deficitária em cerca de 15 bilhões de dólares".

O ministério destacou ainda que a alta do saldo comercial deveu-se em parte ao início da recuperação de preços no mercado internacional, mas, especialmente, ao aumento dos volumes exportados.

O Brasil registrou no ano passado uma safra recorde de grãos e se prepara para outra volumosa neste ano, de quase 228 milhões de toneladas, segundo as projeções mais recentes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Para Maggi, "o clima para produtores rurais do Brasil inteiro tem corrido muito bem até agora".

Na semana passada, no entanto, o excesso de chuvas levantou preocupações quanto à qualidade da safra de soja, especialmente em relação à possibilidade de doenças como a ferrugem.

(Por Mateus Maia, com reportagem adicional de José Roberto Gomes, em São Paulo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos