ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Dólar sobe e vai ao patamar de R$3,16 com correção e cenário externo

29/01/2018 10h16

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar subia frente ao real nesta segunda-feira, com movimento de correção após as recentes e fortes quedas diante da cena política interna e acompanhando também o movimento da moeda norte-americana no exterior.

Às 10:15, o dólar avançava 0,75 por cento, a 3,1639 reais na venda, depois de fechar a semana passada com queda acumulada de 1,91 por cento. Foi a quinta semana seguida de perdas, somando desvalorização de quase 6 por cento.

O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,35 por cento nesta sessão.

"Muitos apontam que a divisa (norte-americana) pode ficar abaixo de 3,10 reais, especialmente se a (reforma da Previdência) caminhar bem em fevereiro", trouxe a corretora H.Commcor em relatório.

O dólar reagiu com força na semana com o mercado apostando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está mais distante da corrida eleitoral deste ano, após sua condenação por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro ter sido confirmada por unanimidade em segunda instância. O petista é visto pelos investidores financeiros menos comprometido com medidas de ajuste fiscal.

Os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) foram unânimes ao manter a condenação de Lula e elevaram sua pena a 12 anos e 1 mês de prisão, adicionando obstáculos jurídicos às pretensões do petista de disputar novamente a Presidência da República em outubro.

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vão decidir até meados de setembro se vão barrar o registro da candidatura do ex-presidente Lula.

Agora, o mercado estava focado nos esforços que o governo do presidente Michel Temer fará para aprovar a reforma da Previdência, considerada essencial para colocar as contas públicas em ordem.

A votação da reforma está marcada para o dia 19 de fevereiro na Câmara dos Deputados mas o governo ainda não possui os votos suficientes.

No exterior, o dólar operava em alta ante uma cesta de moedas, sustentado pela alta dos rendimentos dos títulos e por uma semana carregada de dados dos Estados Unidos, a começar pela decisão de política monetária do banco central do país na quarta-feira.

A moeda também subia ante divisas de países emergentes, como o peso mexicano e o rand sul-africano.

Mais Economia