PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Índice oscila ao redor da estabilidade com fraqueza de bancos contrabalançando alta de Vale

14/03/2018 11h28

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice de ações da B3 oscilava ao redor da estabilidade no final da manhã desta quarta-feira, contrabalançando o avanço das ações da Vale após fortes dados chineses com o declínio nas ações de Itaú Unibanco e Bradesco.

Às 11:27, o Ibovespa caía 0,1 por cento, a 86.301 pontos. O volume financeiro somava 2 bilhões de reais.

De acordo com profissionais da área de renda variável consultados pela Reuters, o começo do pregão brasileiro foi bastante focado nos dados chineses mais fortes, que davam suporte principalmente às ações da Vale.

A produção industrial chinesa avançou 7,2 por cento entre janeiro e fevereiro na comparação com o mesmo período do ano anterior, informou a Agência Nacional de Estatísticas nesta quarta-feira, contra expectativa de analistas de 6,1 por cento e após alta de 6,2 por cento de dezembro.

A fraqueza dos bancos, contudo, pesou nos negócios, afirmou um gestor ouvido pela Reuters.

Wall Street também perdeu o fôlego mais positivo da abertura, com o S&P 500 passando a oscilar no vermelho, corroborando a piora na bolsa brasileira. Na máxima, mais cedo, o Ibovespa chegou a 86.969 pontos, alta de 0,68 por cento.

DESTAQUES

- VALE avançava 2 por cento, em meio a alta nos preços do minério de ferro na China, após dados econômicos fortes daquele país apontarem para condições de demanda firme na segunda economia do mundo.

- CSN tinha elevação de 0,7 por cento, tendo também no radar comentários do presidente-executivo do grupo siderúrgico, Benjamin Steinbruch, entre os o de que considera irrelevante para a empresa o impacto das tarifas de importação dos Estados Unidos sobre aço e alumínio.

- GERDAU PN subia 0,25 por cento, também embalada pelo viés positivo no setor de mineração e siderurgia, e com relatório do Credit Suisse reiterando recomendação 'outperform' para a empresa e elevando o preço-alvo de 19 para 20 reais. USIMINAS PNA avançava 0,2 por cento.

- ITAÚ UNIBANCO PN caía 1,05 por cento e BRADESCO PN recuava 0,95 por cento, limitando os ganhos do Ibovespa, dada a relevante participação que ambos detêm no índice de quase 20 por cento no total.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON avançavam 0,8 e 0,4 por cento, respectivamente, acompanhando a elevação dos preços do petróleo no exterior.

- FIBRIA ON valorizava-se 1,9 por cento, conforme seguem as expectativas ligadas a uma potencial aquisição da companhia. Reportagem do jornal Valor Econômico nesta quarta-feira afirmou que os sócios esperam ofertas melhores pela maior produtora mundial de celulose de eucalipto.

- ELETROBRAS PNB e ELETROBRAS ON caíam 5,7 e 5,6 por cento, um dia após a Câmara dos Deputados instalar comissão e iniciar discussão sobre privatização da companhia. As preferenciais da elétrica acumulam em 2018 alta ao redor de 15 por cento, enquanto as ordinárias sobem cerca de 20 por cento.