ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Índice oscila ao redor da estabilidade com fraqueza de bancos contrabalançando alta de Vale

14/03/2018 11h28

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice de ações da B3 oscilava ao redor da estabilidade no final da manhã desta quarta-feira, contrabalançando o avanço das ações da Vale após fortes dados chineses com o declínio nas ações de Itaú Unibanco e Bradesco.

Às 11:27, o Ibovespa caía 0,1 por cento, a 86.301 pontos. O volume financeiro somava 2 bilhões de reais.

De acordo com profissionais da área de renda variável consultados pela Reuters, o começo do pregão brasileiro foi bastante focado nos dados chineses mais fortes, que davam suporte principalmente às ações da Vale.

A produção industrial chinesa avançou 7,2 por cento entre janeiro e fevereiro na comparação com o mesmo período do ano anterior, informou a Agência Nacional de Estatísticas nesta quarta-feira, contra expectativa de analistas de 6,1 por cento e após alta de 6,2 por cento de dezembro.

A fraqueza dos bancos, contudo, pesou nos negócios, afirmou um gestor ouvido pela Reuters.

Wall Street também perdeu o fôlego mais positivo da abertura, com o S&P 500 passando a oscilar no vermelho, corroborando a piora na bolsa brasileira. Na máxima, mais cedo, o Ibovespa chegou a 86.969 pontos, alta de 0,68 por cento.

DESTAQUES

- VALE avançava 2 por cento, em meio a alta nos preços do minério de ferro na China, após dados econômicos fortes daquele país apontarem para condições de demanda firme na segunda economia do mundo.

- CSN tinha elevação de 0,7 por cento, tendo também no radar comentários do presidente-executivo do grupo siderúrgico, Benjamin Steinbruch, entre os o de que considera irrelevante para a empresa o impacto das tarifas de importação dos Estados Unidos sobre aço e alumínio.

- GERDAU PN subia 0,25 por cento, também embalada pelo viés positivo no setor de mineração e siderurgia, e com relatório do Credit Suisse reiterando recomendação 'outperform' para a empresa e elevando o preço-alvo de 19 para 20 reais. USIMINAS PNA avançava 0,2 por cento.

- ITAÚ UNIBANCO PN caía 1,05 por cento e BRADESCO PN recuava 0,95 por cento, limitando os ganhos do Ibovespa, dada a relevante participação que ambos detêm no índice de quase 20 por cento no total.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON avançavam 0,8 e 0,4 por cento, respectivamente, acompanhando a elevação dos preços do petróleo no exterior.

- FIBRIA ON valorizava-se 1,9 por cento, conforme seguem as expectativas ligadas a uma potencial aquisição da companhia. Reportagem do jornal Valor Econômico nesta quarta-feira afirmou que os sócios esperam ofertas melhores pela maior produtora mundial de celulose de eucalipto.

- ELETROBRAS PNB e ELETROBRAS ON caíam 5,7 e 5,6 por cento, um dia após a Câmara dos Deputados instalar comissão e iniciar discussão sobre privatização da companhia. As preferenciais da elétrica acumulam em 2018 alta ao redor de 15 por cento, enquanto as ordinárias sobem cerca de 20 por cento.

Mais Economia