ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Falha em linha de Belo Monte gera blecaute no Norte e Nordeste e afeta outras regiões

21/03/2018 19h34

Por Luciano Costa e Leonardo Goy

SÃO PAULO/BRASÍLIA (Reuters) - Uma falha na linha de transmissão que conecta a hidrelétrica de Belo Monte ao sistema elétrico gerou um blecaute de grandes proporções no Brasil nesta quarta-feira, com maiores impactos no Norte e no Nordeste, mas com desligamentos registrados em todas as regiões do país, disseram autoridades nesta quarta-feira.

O apagão teve início por volta de 15h40, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), e no Norte e Nordeste o fornecimento ainda não estava normalizado até o início da noite, por volta das 19 horas.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, disse que o chamado "linhão" que leva a energia de Belo Monte do Norte ao Nordeste "caiu" e deu início a problemas em série no sistema elétrico do país.

"Essa linha foi inaugurada recentemente e vinha operando não na sua capacidade total. Houve uma subida de carga... que era condizente com o porte da linha, e a linha 'saiu' (de operação). Nós não temos ainda a informação oficial, o ONS está focado em restabelecer o fornecimento", afirmou ele a jornalistas em Brasília.

O linhão de Belo Monte começou a operar no final do ano passado e é de responsabilidade da estatal Eletrobras e da chinesa State Grid. As empresas não responderam de imediato a pedidos de comentário sobre o apagão.

O ONS já havia registrado no final de janeiro um blecaute com impactos em todas as regiões devido a um "desligamento automático" no linhão de Belo Monte, um empreendimento que utiliza uma tecnologia de ultra-alta tensão até então inédita no país.

NO ESCURO

Segundo o ONS, o apagão desta quarta teve início por volta de 15h40, com o desligamento de 22,5 por cento da carga de energia do sistema interligado brasileiro e impacto principalmente no Norte e no Nordeste.

O problema nessas regiões, no entanto, levou posteriormente um corte automático da energia também para consumidores nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

O diretor-geral do ONS, Luiz Eduardo Barata, afirmou em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro que houve "praticamente um colapso" do sistema no Norte e Nordeste.

Ele ressaltou, no entanto, que os impactos nas demais regiões do país foram menores e o restabelecimento aconteceu rapidamente.

O fornecimento no Sul, no Sudeste e no Centro-Oeste foi praticamente normalizado até às 16h15, segundo o ONS, mas algumas regiões do Norte e Nordeste ainda seguiam no escuro no final da tarde.

"Nossa expectativa é que mais uma hora e meia, duas horas, todo o Norte e Nordeste esteja ligado", disse o ministro Coelho Filho no início da noite, por volta das 19 horas.

Mais Economia