Bolsas

Câmbio

Ministro de Minas e Energia diz que irá para o MDB, pede continuidade de agenda

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, atualmente sem partido, disse nesta quarta-feira que deve se filiar ao MDB "nos próximos dias".

O ministro, que vai deixar o cargo em abril para disputar as eleições deste ano, disse ainda que o mais importante na sua sucessão é garantir a continuidade da agenda de trabalhos da pasta, principalmente em questões como a desestatização da Eletrobras e a cessão onerosa no pré-sal.

"O intuito é fazer uma indicação não de nome, mas que possa manter a agenda de trabalho do ministério", disse o ministro a jornalistas, ao chegar a evento na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em Brasília (DF).

O ministro admitiu preocupação com a protelação que a oposição tem conseguido impor na comissão especial da Câmara que trata da privatização da Eletrobras, mas disse que segue apostando no cumprimento do calendário.

"Lógico que preocupa, porque a gente tem um cronograma. Agora, evidentemente, nós já esperávamos toda essa resistência", disse.

Sobre a previsão do relator no projeto na Câmara, José Carlos Aleluia (DEM-BA), de votar o texto na comissão até 24 de abril, o ministro disse que trabalha com esse mesmo prazo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos