Bolsas

Câmbio

Empresas de tecnologia expressam preocupação com plano de combate a notícias falsas de Cingapura

CINGAPURA (Reuters) - Grandes empresas de tecnologia incluindo Facebook e Twitter expressaram nesta quinta-feira preocupação sobre um possível plano de Cingapura para criar uma nova lei para combater a ameaça de notícias falsas, dizendo que já existem regras suficientes em vigor.

Representantes do Facebook, do Twitter e do Google participaram de uma audiência parlamentar sobre como enfrentar a ameaça a qual Cingapura se considera particularmente vulnerável devido a seu tamanho, seu papel como um centro financeiro global e sua mistura étnica e religiosa.

As empresas estavam entre as 79 pessoas que pediram para falar no parlamento durante os oito dias marcados para a audiência.

Cingapura está entre os países que querem introduzir uma regulamentação, até agora não especificada, para conter notícias falsas, uma tendência que tem despertado a preocupação de que tais leis possam ser usadas para exercer controle do governo sobre a mídia.

"Não acreditamos que a legislação seja a melhor abordagem para abordar a questão", disse Alvin Tan, chefe de políticas públicas do Facebook para o Sudeste Asiático, em uma apresentação por escrito.

"Cingapura já tem uma variedade de leis e regulamentos existentes que tratam do discurso de ódio, difamação e disseminação de notícias falsas."

Cingapura está na posição 151 entre 180 países classificados pelo Índice Mundial de Liberdade de Imprensa, do Repórteres Sem Fronteiras, um grupo não-governamental que promove a liberdade de informação.

(Por Fathin Ungku)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos