ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Índices acionários da China têm maior queda em 6 semanas com preocupações de guerra comercial

23/03/2018 07h43

XANGAI (Reuters) - Temores de uma guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo sacudiram os mercados acionários da China nesta sexta-feira, com os principais índices do país registrando a maior queda em seis semanas.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 2,9%, no menor nível desde 12 de fevereiro.

Já o índice de Xangai teve queda de 3,6%, para o menor patamar de fechamento desde 9 de fevereiro.

Ambos os índices registraram as maiores quedas percentuais em um dia desde 9 de fevereiro, tendo ainda o desempenho semanal mais fraco em seis semanas.

As ações chinesas caíram com força após Pequim revelar planos de tarifas de até US$ 3 bilhões em importações norte-americanas em retaliação às tarifas dos Estados Unidos sobre produtos de aço e alumínio da China, que entram em vigor nesta sexta-feira (23).

O presidente Donald Trump também assinou um memorando na quinta-feira (22) apontando que pode impor taxas de até US$ 60 bilhões sobre importações chinesas, embora a medida tenha um período de consulta de 30 dias.

No restante da região, as preocupações com uma guerra comercial também afetou os mercados.

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, tinha queda de 2,18% às 7h42 (horário de Brasília).

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 4,51%, a 20.617 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 2,45%, a 30.309 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 3,38%, a 3.153 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 2,86%, a 3.905 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 3,18%, a 2.416 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 1,66%, a 10.823 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 2%, a 3.421 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 1,96%, a 5.820 pontos.

Mais Economia