Bolsas

Câmbio

Presidente mexicano rebate críticas e defende reforma energética

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente do México defendeu nesta quinta-feira a decisão de abrir o setor de energia contra ataques do candidato favorito para sucedê-lo, dizendo que o corte da medida pode custar ao país bilhões de dólares em investimentos perdidos.

A reforma legislativa de 2013-14, que encerrou o monopólio de décadas da petroleira estatal Pemex, foi a peça central da agenda econômica do presidente Enrique Peña Nieto, e o esquerdista Andres Manuel Lopez Obrador, que lidera as eleições presidenciais de 1º de julho, ameaça suspendê-la.

Em discurso no Estado rico em petróleo de Veracruz, Peña Nieto disse que aqueles que pedem para voltar atrás na reforma arriscam condenar o México a um modelo econômico "obsoleto", sem citar o nome de López Obrador.

"Cancelar a reforma energética é praticamente fazer desaparecer os investimentos que hoje exigem certeza", disse Peña Nieto, na inauguração de um centro de tecnologia.

"Queremos que o setor privado invista, para gerar retornos para o México e seu povo", acrescentou.

Ele é impedido por lei de buscar a reeleição.

(Reportagem de Adriana Barrera e Dave Graham)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos