Bolsas

Câmbio

Braskem reverte prejuízo e tem lucro líquido de R$313 mi no 4ºtri; Ebitda sobe 24%

SÃO PAULO (Reuters) - A petroquímica Braskem teve lucro líquido consolidado de 313 milhões de reais no quarto trimestre, revertendo prejuízo de 2,617 bilhões de reais no mesmo período do ano anterior, quando o resultado foi impactado por pagamento de multa em acordo de leniência global.

No ano, o lucro líquido foi de 4,133 bilhões de reais, ante prejuízo de 729 milhões de reais em 2016. O resultado da Braskem em 2016 foi afetado pela provisão para pagamento de multa de 3,1 bilhões de reais, ou 957 milhões de dólares, referente a um acordo de leniência com autoridades globais no âmbito da operação Lava Jato.

A empresa teve lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização (Ebitda) de 2,952 bilhões de reais nos três últimos meses de 2017, alta de 24 por cento na comparação anual. Com isso, margem Ebitda subiu 4 pontos percentuais na mesma comparação para 23,4 por cento.

Em dólares, o Ebitda subiu na comparação com o mesmo período do ano anterior 25 por cento para 911 milhões de dólares no quarto trimestre, devido ao maior volume de vendas e melhora nos spreads internacionais de químicos. No ano, o Ebitda atingiu o valor recorde em dólares de 3,9 bilhões de dólares, 17 por cento superior a registrado em 2016.

A receita líquida de vendas subiu 5 por cento no trimestre, para 12,628 bilhões de reais, enquanto em dólares, o avanço foi de 7 por cento para 3,929 bilhões de dólares. No ano, a receita subiu 3 por cento para 49,3 bilhões de reais.

De acordo com a Braskem, o crescimento da receita se deve ao volume de vendas no México, recuperação da demanda no Brasil, preços mais altos de resinas e químicos no mercado internacional e aumento da capacidade das plantas nos Estados Unidos e Alemanha.

As despesas gerais e administrativas cresceram 9 por cento no trimestre, para 870 milhões de reais, em função do maior volume de vendas e gastos com publicidade e propaganda. Em dólares, as despesas caíram 4 por cento.

A alavancagem da empresa medida pela relação dívida líquida/Ebitda em dólares caiu para 1,91 vez ao final do ano passado, 1,95 vez cento no fim de 2016.

Para 2018, a empresa espera a manutenção do cenário positivo com spreads saudáveis, apesar de inferiores ao registrados em 2017.

A expectativa da empresa é investir cerca de 2,872 bilhões de reais neste ano, ante investimentos totais de 2,293 bilhões de reais em 2017.

(Por Raquel Stenzel)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos