ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Sabesp tem "vários pontos" a rediscutir com Arsesp em processo de revisão tarifária, diz presidente

29/03/2018 14h06

SÃO PAULO (Reuters) - A Sabesp tem "vários pontos" a debater com a agência reguladora estadual Arsesp sobre o processo de revisão tarifária, incluindo metas de redução de perdas de água cobradas pela autarquia e consideradas agressivas pela companhia.

Nesta semana, a agência informou que a proposta de índice de reposicionamento tarifário da Sabesp é de 4,7744 por cento, abaixo dos 7,8888 por cento definidos na etapa preliminar do processo.

"Quando a agência coloca meta de redução de perdas muito mais ambiciosa do que prevíamos o razoável é supor que... quantos recursos a mais vão ser necessários para se atingir isso e, mais, verificar se de fato é possível atingir, porque nem sempre querer é poder", disse o presidente da Sabesp, Jerson Kelman, durante teleconferência com analistas e jornalistas.

Segundo ele, atualmente, a Sabesp tem perdas de 302 litros por ligação por dia, em média, ante níveis em regiões desenvolvidas de cerca de 100 litros.

A Sabesp propôs na atual revisão tarifária uma queda do nível de perdas para 293 litros por hidrômetro por dia neste ano, valor que deverá ser reduzido para até 258 litros em 2022, uma diminuição de 14,6 por cento ante a situação atual. A companhia não informou os níveis cobrados pela Arsesp e representantes da agência não estavam disponíveis até a publicação deste texto.

"A Arsesp achou insuficiente e exige metas mais arrojadas. A rigor temos que examinar se são exequíveis do ponto de vista técnico", disse Kelman, comentando que a Sabesp não concorda com o critério adotado pela agência para cobrar metas mais agressivas da empresa e que ainda não calculou o quanto mais precisará investir para atingir os objetivos da Arsesp.

O plano de investimentos apresentado pela Sabesp à agência no processo de revisão tarifária prevê desembolvos de 2,8 bilhões de reais em 2018, 3,374 bilhões em 2019, 3,5 bilhões em 2020, 3,763 bilhões em 2021 e 3,757 bilhões em 2022, em um total de 17,29 bilhões de reais ao longo do período.

A Arsesp publicará os detalhes finais sobre a revisão tarifária da Sabesp em 10 de maio.

As ações da companhia exibiam alta de 3,02 por cento, às 14:04, cotadas a 35,14 reais, enquanto Ibovespa tinha valorização de 1,65 por cento.

Os executivos da companhia também informaram que, a depender da conclusão dos planos de reestruturação e capitalização da Sabesp, com a criação de uma holding e entrada de novos investidores, a Arsesp poderá decidir por uma revisão extraordinária subsequente das tarifas da empresa por conta de uma previsão mais forte de investimentos.

Durante a teleconferência, executivos da empresa afirmaram que o atual volume de água armazenado nos sistemas metropolitanos garante o abastecimento da população mesmo se houver uma repetição das condições da forte crise hídrica que atingiu o Estado entre 2014 e 2015.

A produção de água pelos sistemas está em cerca de 62 metros cúbicos por segundo em março, segundo os dados da empresa, semelhante ao volume de um ano antes. Em 2014/2015, o nível era próximo de 50 metros cúbicos.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Mais Economia