ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

França é contra negociações comerciais sobre tarifas dos EUA, diz secretário

04/05/2018 13h26

PARIS (Reuters) - A França é contra a União Europeia entrar em negociações comerciais com os Estados Unidos sobre tarifas de exportação de metais e defende que a isenção do bloco das sobretaxas norte-americanas deveria ser permanente e ocorrer sem imposição de condições, disse o secretário de Estado francês, Jean-Baptiste Lemoyne.

"O governo francês compartilha a posição da Comissão Europeia, que demanda uma isenção completa, permanente e incondicional", disse Lemoyne ao jornal francês Les Echos.

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu nesta semana que os Estados membros da UE concedam à comissária de Comércio, Celia Malmstrom, um mandato claro para negociações com Washington e um importante ministro da Alemanha reconheceu diferenças do país com a França sobre o assunto.

A prioridade para a Alemanha, maior economia da Europa e orientada a exportações, é a obtenção de um amplo acordo para reduzir tarifas sobre uma série de produtos, especialmente manufaturados.

"Não compartilhamos a estratégia de entrarmos em negociações sobre tarifas", disse Lemoyne, sem dizer se estava se referindo à Alemanha ou a outros países.

"De fato, se esta negociação ficar apenas sobre tarifas de veículos, estaremos violando regras da OMC a menos que apliquemos cláusulas de redução para todos os países, não apenas para os Estados Unidos, algo que é indesejável", disse o secretário.

Lemoyne afirmou que os governos da França e da Alemanha estão em "constante discussão" sobre o assunto. "Paris e Berlim compartilham a mesma ambição: a União Europeia não pode ser bode expiatório de tensões no mercado de aço geradas por outros países", disse ele.

Mais cedo, um porta-voz do governo alemão afirmou que os Estados membros da UE deveriam se engajar em discussões intensivas para alcançarem uma posição comum.

(Por Jean-Baptiste Vey)

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia