ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Wall Street recua com avanço dos rendimentos dos Treasuries

Por Stephen Culp

15/05/2018 18h26

(Reuters) - Um aumento nos rendimentos dos títulos do governo norte-americano para seu nível mais alto em quase sete anos fez com que as ações de Wall Street caíssem nesta terça-feira (15), depois que fortes dados de vendas no varejo alimentaram temores sobre a inflação e investidores se preocuparam com as negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

Todos os três principais índices de ações dos EUA fecharam em queda, com o S&P 500 encerrando uma série de altas de quatro dias e o Dow Jones registrando sua primeira queda em oito sessões.

O índice Dow Jones caiu 0,78%, a 24.706 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,68%, a 2.711 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuou 0,81%, a 7.352 pontos.

O rendimento dos Treasuries de 10 anos saltou para seu nível mais alto desde julho de 2011, sugerindo um aumento na inflação e enviando o índice do dólar ao seu maior fechamento em 2018, elevando as expectativas de novos aumentos da taxa de juros do Federal Reserve.

"Uma combinação de crescimento firme e taxas de juros mais altas é desconcertante", disse Anthony Chan, economista-chefe do Chase. "Um dólar mais forte significa pressão descendente. O aumento dessas coisas continua mantendo o mercado nervoso."

As vendas do comércio varejista dos EUA em abril --que excluem gasolina, automóveis, materiais de construção e serviços de alimentação - aumentaram em ritmo acelerado de 0,4% sobre março, com os consumidores acelerando o ritmo de gastos após uma desaceleração no primeiro trimestre.

Os investidores também permanecem preocupados com o diálogo de alto nível entre a China e os EUA, previsto para começar esta semana em Washington.

O embaixador norte-americano na China, Terry Branstad, disse que os dois países continuam "muito distantes" de uma resolução sobre tarifas, e depois disso o conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse ao politico que apoia esforços para alcançar um acordo.

"Um pouco do nervosismo de hoje está relacionado a uma ressaca da exuberância erroneamente posicionada de ontem, de que um acordo comercial era iminente, e a realidade é que estamos em uma longa disputa entre EUA e China", disse Jon Mackay, estrategista de investimentos da Schroders América do Norte.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia