Bolsas

Câmbio

STF prorroga inquérito da Odebrecht sobre Maia, Eunício, Jucá e Renan

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), aceitou pedido feito pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de prorrogar por mais 60 dias o prazo para a conclusão do inquérito que envolve os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), além do líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA).

Os parlamentares são investigados sob a suspeita de terem recebido propina de 7 milhões de reais da construtora Odebrecht em troca de atuar na aprovação de uma medida provisória que concedeu incentivos tributários a alguns setores. A apuração teve como base delações premiadas de executivos do grupo.

A procuradora-geral alegou ao STF que, segundo a Polícia Federal, ainda estão pendentes a tomada do depoimento de uma testemunha e o amplo acesso aos sistemas de comunicação e contabilidade paralela da Odebrecht.

"Acolho a manifestação da procuradora-geral da República, determinando o envio dos autos à autoridade policial para a conclusão das investigações, no prazo máximo de 60 dias", decidiu Fachin, em despacho da terça-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos