Bolsas

Câmbio

Criação de vagas de emprego dos EUA acelera em maio, taxa de desemprego cai para 3,8%

De São Paulo

O crescimento do emprego nos Estados Unidos acelerou em maio e a taxa de desemprego caiu para uma mínima de 18 anos de 3,8 por cento, apontando para um rápido aperto nas condições do mercado de trabalho, o que pode gerar preocupação com a inflação.

O relatório de emprego do Departamento do Trabalho dos EUA divulgado nesta sexta-feira também mostrou que os salários subiram solidamente no mês passado, cimentando as expectativas de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, aumentará a taxa de juros em junho.

Os EUA criaram 223 mil vagas de emprego fora o setor agrícola no mês passado e dados de março e abril foram revisados ​​para mostrar que a economia criou 15 mil empregos a mais do que o relatado anteriormente. Economistas culparam o mau tempo pela desaceleração no crescimento dos empregos nesses dois meses.

A renda média por hora aumentou 0,3 por cento em maio, depois de subirem 0,1 por cento em abril. Isso elevou o aumento anual do salário médio por hora para 2,7 por cento, ante 2,6 por cento em abril.

A taxa de desemprego está agora na previsão do Fed de 3,8 por cento até o final deste ano, depois de cair para um nível não visto desde abril de 2000.

O forte relatório de emprego se somou a uma série de dados econômicos sólidos, incluindo gastos do consumidor e produção industrial, que sugerem que o crescimento econômico dos EUA acelerou no início do segundo trimestre, após desacelerar no início do ano.

A economia forte, no contexto de cortes de tributos de 1,5 trilhão de dólares e o aumento dos gastos do governo, poderia influenciar as pressões sobre os preços. A inflação está ficando abaixo da meta de 2 por cento do Fed.

A criação de postos de trabalho mensal atingiu, em média, cerca de 179 mil nos últimos três meses, mais do que os cerca de 120 mil necessários para acompanhar o crescimento da população em idade ativa.

Economistas consultados pela Reuters previam a criação de 188 mil vagas de trabalho fora do setor agrícola no mês passado e que a taxa de desemprego permaneceria em 3,9 por cento.
O Fed aumentou os custos de empréstimos em março e previu pelo menos mais dois aumentos de juros para este ano.

Mas muito depende das condições do mercado financeiro, que pioraram nos últimos dias após uma crise política na Itália e a renovação dos temores de uma guerra comercial depois que o governo Trump impôs tarifas sobre as importações de aço e alumínio do Canadá, México e União Europeia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos