Bolsas

Câmbio

China diz estar, a princípio, aberta ao diálogo com os EUA sobre comércio

Por Ben Blanchard

PEQUIM (Reuters) - A China está aberta ao diálogo a princípio, disse nesta segunda-feira o Ministério das Relações Exteriores do país, um dia depois de Pequim ter alertado que qualquer acordo comercial firmado com Washington será anulado se os Estados Unidos implementar tarifas.

Os EUA e a China ameaçaram impor tarifas de até 150 bilhões de dólares um contra o outro, com o presidente norte-americano, Donald Trump, pressionando Pequim a abrir ainda mais sua economia e buscar formas de reduzir o grande déficit comercial dos EUA com a China.

Os dois países encerraram sua mais recente rodada de negociações no domingo, com o secretário de Comércio norte-americano, Wilbur Ross, e sua delegação deixando Pequim sem fazer uma declaração pública, e a China não mencionou nenhum novo acordo.

Após o vice-premiê chinês, Liu He, falar com Ross, a China se referiu a um consenso alcançado no mês passado em Washington, quando a China concordou em aumentar significativamente suas compras de bens e serviços dos EUA.

Pequim também alertou que quaisquer tarifas e outras medidas comerciais implementadas por Washington afetariam qualquer acordo entre os dois lados.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Hua Chunying, redirecionou ao Ministério do Comércio do país perguntas sobre quando e onde uma próxima rodada de negociações poderia ocorrer, e se Liu estava se preparando para ir aos Estados Unidos.

"Mas acho que a posição da China em princípio é muito clara. A porta da China para o diálogo e conversas está sempre aberta", disse Hua.

A China é sincera em querer "resolver adequadamente" o problema por meio do diálogo, acrescentou, sem elaborar.

O Gabinete de Informação do Conselho de Estado da China e o Ministério do Comércio chinês não responderam ao pedido da Reuters para comentar o assunto.

Em um editorial, o jornal estatal China Daily disse que o resultado das negociações do final de semana sugeriu que ambos os lados continuaram adotando uma abordagem construtiva, mas alertaram sobre a imprevisibilidade de Trump.

(Por Ben Blanchard)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos