ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Índice acionário de Xangai tem estabilidade com perdas no setor imobiliário ofuscando ganhos em transporte

06/06/2018 07h48

TÓQUIO (Reuters) - As ações de Xangai encerraram esta quarta-feira praticamente estáveis, uma vez que os ganhos em empresas de transporte e matérias-primas foram compensados pelas perdas nos setores bancário e imobiliário.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,19 por cento, enquanto o índice de Xangai teve variação positiva de 0,05 por cento.

O setor imobiliário recuou 1,1 por cento, pressionado pelos esforços intensificados de municípios para conter a especulação imobiliária.

As ações de empresas de telecomunicações pouco se alteraram após a notícia de que a ZTE assinou um acordo que suspende a proibição do Departamento de Comércio dos Estados Unidos às empresas norte-americanas de fornecer para a ZTE, permitindo que a chinesa retome suas atividades.

No restante da região, o forte movimento de tecnologia em Wall Street impulsionou as ações asiáticas, enquanto preocupações com a dívida da Itália levavam investidores a assumirem dívidas governamentais de menor risco.

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, tinha alta de 0,66 por cento às 7:46 (horário de Brasília).

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,38 por cento, a 22.625 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,53 por cento, a 31.259 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,05 por cento, a 3.115 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,19 por cento, a 3.837 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI permaneceu fechado.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,92 por cento, a 11.201 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,44 por cento, a 3.467 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,50 por cento, a 6.025 pontos.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia