ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

PF cria centro para monitorar candidatos ligados ao crime organizado, diz Jungmann

05/09/2018 17h27

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Polícia Federal está criando um centro de monitoramento para investigar candidatos ligados ao crime organizado , disse nesta quarta-feira o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

Segundo ele, o objetivo é impedir que esses candidatos financiados por traficantes, milicianos ou outros grupos se elejam. O resultado das investigações em torno dos suspeitos será encaminhado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“É inadmissível que o crime tenha representação parlamentar e de nossa parte estamos concluindo um centro de cooperação e inteligência eleitoral na Polícia Federal“, disse Jungmann a jornalistas no Rio de Janeiro.

”Para identificar, monitorar quem são esses candidatos e evitar que eles cheguem ao mandato e, se chegarem, evidentemente sob a batuta do TSE, cassá-los e puni-los”, acrescentou.

No Rio de Janeiro, um aplicativo sobre a ligação de candidatos e criminosos está sendo lançado e as autoridades estimam que quase dois milhões de eleitores vivem em locais dominados pelo crime organizado.

Com o financiamento de campanha mais restrito, teme-se que grupos capitalizados, como traficantes e milicianos, tenham mais força para elegerem seus candidatos em 2018.

”Quem tem o controle do território tem o controle do voto e elege seu representante. É importante impedir que os representantes do crime possam se eleger. E se se elegerem têm de ser casados e punidos“, disse o ministro.

As autoridades do Rio de Janeiro tentam há quase seis meses esclarecer a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e as indicações apontam para a ocorrência de um crime político.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Mais Economia