ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Índice fecha em queda de 0,38%, longe da mínima, à espera de pesquisa eleitoral

04/10/2018 17h05

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em queda nesta quinta-feira, em meio a realização de lucros, mas longe da mínima, influenciado pelo avanço de ações de companhias de controle estatal, com agentes financeiros ajustando posições antes de pesquisa Datafolha prevista para após o fechamento do pregão.

O índice de referência do mercado acionário brasileiro <.BVSP> caiu 0,38 por cento, a 82.952,81 pontos, tendo chegado a subir 0,19 por cento na máxima. Na mínima, caiu 1,66 por cento.

O volume financeiro do pregão somou 13,879 bilhões de reais.

A queda vem após duas altas seguidas, período em que o Ibovespa acumulou elevação de 5,9 por cento.

O Ibovespa recuou abaixo de 82 mil pontos na primeira etapa do dia, afetado por pesquisa Ibope mostrando um cenário mais equilibrado na disputa eleitoral, principalmente no segundo turno, e viés negativo do exterior, que abriram espaço para investidores embolsarem lucros recentes.

Levantamento Ibope divulgado na noite de quarta-feira mostrou Bolsonaro com 32 por cento das intenções de voto, enquanto Haddad registrou 23 por cento. No levantamento anterior o candidato do PSL aparecia com 31 por cento e o petista somava 21 por cento. [nL2N1WJ1WL]

Na simulação de segundo turno entre Bolsonaro e Haddad, o petista teria 43 por cento dos votos, contra 41 por cento do candidato do PSL. Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, os dois estão em empate técnico.

Na visão da corretora Brasil Plural, os números sugerem que a solução da eleição em primeiro turno ficou mais distante.

"O cenário mais provável, nesse momento, é mesmo a realização de segundo turno entre os candidatos do PSL e do PT", afirmou a equipe da Brasil Plural em nota a clientes, chamando a atenção ainda para pesquisa Datafolha prevista para esta quinta.

A pauta da noite também tem debate entre os presidenciáveis na TV Globo, sem a presença de Bolsonaro por recomendação médica. Bolsonaro deve aparecer numa entrevista na TV Record no mesmo horário do debate. [nL2N1WJ0UG]

No exterior, os pregões foram minados pela alta nos rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, apoiada particularmente em robustos dados econômicos recentes e na visão otimista do Federal Reserve, o banco central dos EUA, para a maior economia do mundo. O S&P 500 <.SPX> caiu 0,82 por cento.

Do lado do fluxo, após as últimas semanas de setembro mostrarem forte ingresso de recursos de estrangeiros, refletido tanto em entradas líquidas na Bovespa como nas posições compradas em futuros do Ibovespa, o começo de outubro mostra algum desmonte nas alocações no mercado futuro.

A posição comprada líquida de investidores estrangeiros, considerando contratos cheios e mini contratos, totalizou 93.562 ativos no último pregão. Na véspera, estava em 142.170 ativos. No dia 14, chegou a 200.504 contratos.

Para o analista Vitor Suzaki, da Lerosa Investimentos, tal movimento pode refletir certa cautela dos estrangeiros na reta final da eleição, zerando posições e embolsando lucros para passar pelo evento menos expostos, mas também eventual reversão de fluxo após dados mais fortes da economia norte-americana.

"Mas é preciso aguardar os dados desta sessão para avaliar se isso representa mesmo uma tendência", ponderou.

DESTAQUES

- ELETROBRAS ON e ELETROBRAS PNB subiram 4,93 e 4,85 por cento, respectivamente, revertendo perdas do começo da sessão, embaladas por expectativas otimistas para a pesquisa Datafolha, com profissionais citando rumores de que o levantamento aponte aumento da vantagem de Bolsonaro em relação a Haddad no primeiro turno.

- BANCO DO BRASIL subiu 2,45 por cento, também melhorando ao longo do dia em razão de especulações eleitorais, enquanto ITAÚ UNIBANCO PN teve acréscimo de 0,11 por cento, BRADESCO PN subiu 0,48 por cento e SANTANDER BRASIL UNIT avançou 0,96 por cento.

- PETROBRAS PN subiu 0,97 por cento, acompanhando a recuperação de outras empresas de controle estatal que melhoraram durante o dia em razão de expectativas com o desfecho eleitoral e descolando do recuo do petróleo no exterior.

- SUZANO recuou 5,51 por cento, revertendo os ganhos do começo da quinta-feira, conforme o dólar também perdeu fôlego frente ao real, que terminou em alta de apenas 0,22 por cento. [nL2N1WK1LR]

- JBS fechou em baixa de 4,74 por cento. A JBS disse que sua divisão nos EUA está recolhendo 6,5 milhões de libras (pouco mais de 2,9 mil toneladas) de carne em sua unidade no Arizona devido à potencial presença de salmonela.[nL2N1WK1HI]

- VALE caiu 1,92 por cento, alinhada ao movimento negativo de outras mineradoras no exterior <.SXPP>.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em <.PL.BVSP>

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em <.PG.BVSP>

(Edição de Aluísio Alves)

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia