ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Haddad critica mudanças no regime de partilha do pré-sal e fala em retomar petróleo da Petrobras

05/10/2018 00h49

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, criticou na quinta-feira mudança nas regras para leilões de áreas de petróleo e gás realizadas pelo governo Michel Temer, que permitiu maior participação de companhias estrangeiras nos certames sob regime de partilha no pré-sal, e afirmou que, se for eleito, isso vai ser revisto no primeiro dia de seu governo.

O governo do PT criou o modelo de regime de partilha de produção a partir da descoberta do pré-sal e estipulou que a Petrobras deveria ter no mínimo 30 por cento das áreas na região do pré-sal. Tal obrigação foi derrubada no governo Temer, que definiu que a estatal teria preferência e não a obrigação de atuar no pré-sal.

Haddad, que está em segundo lugar nas pesquisas eleitorais, destacou a relevância do pré-sal e classificou a fronteira petrolífera como "um passaporte para o futuro do país se o governo parar de vender para os americanos?.

?Eu vou retomar o petróleo da Petrobras para investir em saúde e educação... você aprovou uma lei para alienar aos americanos o que é dos brasileiros", disse ele em resposta ao candidato do Podemos à Presidência, Alvaro Dias, durante debate na TV Globo.

?Isso eu não vou permitir e vai ser revisto no dia 1o de janeiro de 2019", acrescentou.

Desde setembro do ano passado, o governo Temer realizou seis leilões de óleo e gás nos regimes de concessão e partilha e só em bônus de assinatura foram arrecadados cerca de 28 bilhões de reais.

O último certame, realizado na semana passada, foram arrematadas quatro áreas oferecidas na região do pré-sal e entre as vencedoras estavam a própria Petrobras, que teve um papel secundário no leilão que teve como destaques as gigantes Shell, Chevron, BP e Exxon Mobil.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia