ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Bovespa perde fôlego pressionada por queda da Petrobras em pregão sem referência de Wall St; JBS avança

05/12/2018 12h04

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista perdia o fôlego nesta quarta-feira, com o declínio das ações da Petrobras, em meio a noticiário intenso envolvendo a estatal, compensando forte avanço dos papéis da JBS após a nomeação de novo presidente-executivo.

Às 11:56, o Ibovespa caía 0,1 por cento, a 88.534,39 pontos, depois de subir 0,55 por cento no melhor momento do dia. O volume financeiro somava 2 bilhões de reais.

Na véspera, o Ibovespa recuou mais de 1 por cento acompanhando o movimento de Wall Street, mas nesta sessão os mercados norte-americanos estão fechados em razão do luto pela morte do ex-presidente norte-americano George H.W. Bush.

A equipe do BTG Pactual afirmou que espera uma sessão de baixíssima liquidez nesta quarta-feira, dado o feriado nos EUA, mas reforçou visão otimista com o mercado brasileiro, apesar da volatilidade recente.

Em nota divulgada pela área de gestão de recursos do BTG, citaram que, após conversas com investidores estrangeiros na véspera, eles comentaram estar otimistas com o Brasil, mas sabem da necessidade de aprovação de algumas reformas, o que faz com que fiquem aguardando algum tipo de definição, como o ritmo e intensidade que as elas acontecerão.

DESTAQUES

- PETROBRAS ON cedia 1,3 por cento e PETROBRAS PN caía 1,2 por cento, revertendo ganhos registrados na abertura, tendo no radar a divulgação do plano de negócios para o período de 2019 a 2023 e nova fase da operação Lava Jato envolvendo a área de trading da companhia. Do lado da cessão onerosa, analistas já começam a aventar a possibilidade de desfecho apenas em 2019. O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, disse ser uma discussão muito difícil de ser feita em duas ou três semanas.

- JBS subia 4,6 por cento, liderando os ganhos do Ibovespa, após nomeação de Gilberto Tomazoni como novo presidente-executivo. Em teleconferência, o executivo afirmou que a maior processadora de carnes do mundo tem como prioridade melhorar as margens e que a listagem de operações da companhia nos Estados Unidos continua sendo uma das principais prioridades do grupo, mas "no momento adequado".

- VALE recuava 0,34 por cento, cedendo à pressão negativa após iniciar a sessão no território positivo, com comentários favoráveis de analistas sobre o encontro com investidores realizado pela mineradora na véspera. As ações da mineradora recuaram mais de 2 por cento no pregão de terça-feira, marcado por forte aversão a risco guiada por preocupações com o crescimento da economia norte-americana e ceticismo de uma solução rápida no embate comercial EUA-China.

- COSAN perdia 2,36 por cento, no segundo pregão de baixa, após subir mais de 2 por cento na segunda-feira.

- ITAÚ UNIBANCO PN tinha acréscimo de 0,23 por cento, também recuperando-se de perdas fortes na véspera, enquanto BRADESCO PN recuava 0,82 por cento, SANTANDER BRASIL UNIT tinha variação positiva de 0,02 por cento e BANCO DO BRASIL recuava 0,30 por cento.

(Por Paula Arend Laier)

Mais Economia