IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Reforma da Previdência


Governadores do Nordeste fazem nova carta sobre Previdência e negam apoio a texto de Ibaneis

Por Lisandra Paraguassu

2019-06-07T14:23:06

07/06/2019 14h23

BRASÍLIA, 7 Jun (Reuters) - Governadores da região Nordeste divulgaram nesta sexta-feira (7) uma nova carta sobre a reforma da Previdência em que, apesar de apresentar críticas a alguns pontos, defendem a manutenção de um texto que inclua os regimes estaduais.

"Entendemos, além disso, que a retirada dos estados da reforma e tratamentos diferenciados para outras categorias profissionais representam o abandono da questão previdenciária à própria sorte, como se o problema não fosse de todo o Brasil e de todos os brasileiros", diz o texto assinado pelos nove governadores nordestinos. "No entanto, há consenso em outros tópicos, e acreditamos na intenção, amplamente compartilhada, de se encontrar o melhor caminho."

O texto foi compartilhado nesta sexta-feira com a advertência da assessoria do governador Wellington Dias (PT-PI) de que a outra carta, divulgada na tarde de quinta-feira pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), com 25 assinaturas, na verdade não contava com o respaldo dos governadores do Nordeste.

O texto de Ibaneis --sobre o qual alguns governos discordaram, em sua primeira versão, por criticar duramente o Congresso-- manifesta apoio à reforma e também defende a manutenção dos estados no texto, mas não levanta os pontos com os quais os governadores não concordam.

Entre os nomes que depois revelaram não ter assinado a carta de Ibaneis estão, além de Wellington, Camilo Santana (PT-CE), Fátima Bezerra (PT-RN) e Belivaldo Chagas (PSD-SE). Flávio Dino (PCdoB-MA) e Rui Costa (PT-BA) já não estavam entre os signatários.

Procurada para comentar a informação, a assessoria do governador do DF não se manifestou imediatamente.

Governadores pedem mudança no BPC

Os governadores do Nordeste apontam pontos específicos que querem ver retirados da proposta, como as mudanças no Benefício de Prestação Continua (BPC) e nas aposentadorias rurais, e questionam a desconstitucionalização da Previdência e sistema de capitalização, no qual se baseia o regime futuro de Previdência.

"Todos reconhecem a necessidade das reformas da Previdência, tributária, política, e também da revisão do pacto federativo. As energias devem ser canalizadas para o escrutínio das divergências e o aperfeiçoamento das ações, de modo que todos sejam beneficiados, evitando-se a armadilha do divisionismo que tem acirrado os ânimos e paralisado a nação", diz o texto.

Um fórum de governadores está marcado para a próxima semana, em Brasília, para tentar chegar a uma posição comum sobre as reformas.

Mais Reforma da Previdência