Topo

Thomson Reuters eleva perspectiva; tem maior crescimento desde 2008

01/08/2019 10h44

Por Georgina Prodhan e Matt Scuffham

LONDRES/NOVA YORK (Reuters) - A Thomson Reuters elevou sua projeção de vendas e lucro para 2019 e 2020 nesta quinta-feira depois de divulgar um crescimento orgânico de receita de 4% no segundo trimestre, o que disse que foi o seu melhor desempenho desde 2008 e acima de suas expectativas.

O crescimento foi impulsionado por receitas recorrentes em todas as suas três maiores unidades desde que a provedora de notícias e informações vendeu o controle da sua divisão Financial and Risk, agora conhecida como Refinitiv, para a Blackstone no ano passado.

A empresa informou que a Blackstone concordou em vender a Refinitiv, que fornece dados e notícias a clientes financeiros, para a London Stock Exchange em um acordo de 27 bilhões de dólares.

A Thomsom Reuters disse que espera que o crescimento de receita de 2019 e 2020 e o lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) para os anos fiquem no teto das projeções fornecidas anteriormente.

A controladora da Reuters News previu um crescimento de receita para 2019 de 7% a 8,5% antes do efeito cambial, e um crescimento de cerca de metade desse ritmo em 2020.

Para o Ebitda, a Thomson Reuters estimou entre 1,4 bilhão e 1,5 bilhão de dólares para 2019, ante 1,4 bilhão de dólares em 2018, e uma margem Ebitda de 30% a 31% para 2020.

No segundo trimestre, a receita subiu para 1,42 bilhão de dólares, ante 1,31 bilhão um ano atrás, uma vez que a Thomson Reuters ganhou com os pagamentos que recebeu da Refinitiv por seu serviço de notícias.

O lucro por ação ajustado foi de 0,29 dólar, acima das estimativas dos analistas de 0,18 dólar, de acordo com o IBES da Refinitiv.

Mais Economia