Topo

App Ame, de B2W e Lojas Americanas, vai virar empresa e buscar licenças junto ao BC

09/08/2019 14h11

SÃO PAULO (Reuters) - O aplicativo de pagamentos dos grupos de varejo Lojas Americanas e B2W, Ame, deve se tornar uma empresa até o fim do mês, o que a ajudará a buscar licenças para fornecer serviços financeiros, ampliando a concorrência por um mercado com dezenas de novos participantes no país.

A Ame deve obter um CNPJ, firmando-se como empresa própria, disse o diretor financeiro da B2W, Fabio Abrate. "A gente pode transformar este negócio em um superapp para que a Ame conviva com o cliente desde a hora que ele acorda até a hora de dormir", afirmou o executivo durante teleconferência com analistas.

A B2W divulgou no fim da quinta-feira alta de 22% nas vendas totais em sua plataforma, com maor participação do marketplace, segmento em que lojistas independentes vendem seus produtos usando a infraestrutura da empresa.. A ação da B2W era destaque do Ibovespa, subindo 14,7% às 14h07.

"Virar uma empresa própria vai acelerar o negócio", disse Abrate, sobre a Ame. "Nas próximas semanas a companhia será criada, teremos um CNPJ, o que vai destravar oportunidades inclusive solicitar licenças junto ao Banco Central", afirmou, sem detalhar quais serviços a empresa pretende executar.

Os recursos para expansão da Ame virão dos próprios sócios, disse o executivo, afirmando, porém, que a entrada de um terceiro parceiro, estratégico, não está descartada.

"Se entendermos que faz sentido acomodar algum outro investidor, vamos analisar, sobretudo sobre a perspectiva de conhecimento. Eventualmente, um parceiro estratégico pode ser importante para acelerar a Ame", disse Abrate, acrescentando que a empresa está em "fase avançada" de negociação com outros parceiros para oferta de serviços pelo aplicativo.

Atualmente o app permite o pagamento de produtos comprados na B2W e na Lojas Americanas, mantém um programa de cash back aos clientes e permite pagamentos de boletos, além de recarga de créditos de celular e pagamento de corridas feitas com aplicativos terceiros.

A empresa está fazendo testes envolvendo vale-transporte, crédito a pessoas físicas, cartões-presente e pagamento de serviços em sistema de marketplace.

Segundo Abrate, a Ame já está presente em 774 lojas da Lojas Americanas e até o fim do ano essa presença deverá ser expandida para todos os mais de 1.500 pontos de presença da rede no país. A inclusão de outros lojistas no alcance da Ame também está prevista até o final do ano, mas o executivo não deu detalhes.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Mais Economia