IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Ibovespa renova máximas e chega a superar 107 mil pontos com exterior e Previdência

22/10/2019 10h07

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O tom positivo prevalecia na bolsa paulista nesta terça-feira, com o Ibovespa renovando máxima histórica acima dos 107 mil pontos no melhor momento, em meio a um ambiente externo favorável e expectativa de conclusão da reforma da Previdência.

Às 12:12, o Ibovespa subia 0,83%, a 106.904,62 pontos. Na máxima, chegou a 107.063,12 pontos. O volume financeiro somava 5,67 bilhões de reais.

Do exterior, ajudava declaração do vice-ministro das Relações Exteriores chinês de algum progresso nas negociações comerciais entre EUA e China, e que qualquer problema pode ser resolvido desde que um lado respeite o outro.

Também no radar estão votações cruciais no Parlamento britânico nesta terça-feira que decidirão se o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, conseguirá cumprir a promessa de tirar o país da União Europeia até o final do mês.

Em Wall Street, o S&P 500 subia 0,22%.

Na visão do diretor da corretora Mirae Asset, Pablo Spyer, há um ambiente de menor aversão a risco nos mercados no exterior, particularmente com o alívio nos temores de recessão nos EUA, que respalda a busca por 'yields' e favorece o Brasil.

"Apesar de superar os 107 mil pontos pela primeira vez, o Ibovespa ainda está distante das máximas em dólar, o que o torna atrativo aos estrangeiros, que ainda estão afastados da bolsa paulista", destacou.

O recorde intradia do Ibovespa em dólar é de 45.150,49 pontos, registrada em maio de 2008. Na máxima desta sessão, o Ibovespa chegou a 26.273,80 pontos até o momento.

"Além disso, há um otimismo de que a reforma da Previdência seja finalmente aprovada nesta sessão", destacou, referindo-se à votação em segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) esperada no Senado brasileiro nesta tarde.

No final da manhã, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou parecer do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) favorável à PEC, abrindo caminho para votar o texto ainda nesta terça-feira no plenário da Casa.

A proposta que muda as regras de acesso a aposentadorias é considerada o primeiro passo para ajuste nas contas públicas, visto como crucial para a retomada do crescimento no país.

Spyer afirmou ver o Ibovespa buscando 124 mil pontos no fim deste ano e alcançando 150 mil pontos na metade de 2020, conforme a pauta econômica do governo, que contempla entre outros pontos privatizações, avançar e o estrangeiro voltar.

Investidores também estão na expectativa da temporada de resultados de terceiro trimestre das empresas, com a agenda desta semana contemplando os números das gigantes Petrobras e Vale, entre outros nomes com relevante peso no Ibovespa.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN subia 2,45% e PETROBRAS ON avançava 2,24%, encontrando respaldo na alta dos preços do petróleo no exterior, além de expectativas para o resultado da companhia, previsto para a quinta-feira. Analistas do Credit Suisse citaram que a companhia tinha tudo para apresentar um terceiro trimestre fantástico, mas que o forte aumento de produção tende a ser compensado pela queda nos preços médios do petróleo Brent. Eles também esperam alguns efeitos não recorrentes, mas ressaltaram que a desalavancagem deve ser um dos principais pontos positivos, conforme relatório a clientes nesta terça-feira.

- ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN avançavam 1,24% e 1,3%, respectivamente, contaminados pelo clima positivo no pregão como um todo, com BANCO DO BRASIL e SANTANDER BRASIL UNIT valorizando-se 1,1% e 1,4%, respectivamente.

- YDUQS ON tinha elevação de 4,45%, ainda embalada pelo anúncio da véspera, de aquisição do grupo de ensino superior privado Adtalem Brasil, dono do Ibmec, que analistas consideraram 'transformacional'.

- VALE ON mostrava oscilação negativa de 0,02%, um dia após anunciar que suspendeu temporariamente, desde a segunda-feira, a disposição de rejeitos na barragem Itabiruçu, localizada no Complexo de Itabira (MG), enquanto conduz avaliações sobre as características geotécnicas da estrutura. A mineradora ainda ajustou o intervalo do guidance de vendas. Analistas do Itaú BBA consideraram os anúncios neutros do ponto de vista de volumes, mas ligeiramente positivo para preços - visão endossada pela alta nos futuros de minério de ferro na China nesta sessão.

- BRASKEM PNA caía 2%, destaque na ponta negativa. A petroquímica anunciou nesta terça-feira oferta em dinheiro por 2 bilhões de dólares em títulos com vencimentos entre 2021 e 2023. Analista do Safra também reiterou recomendação 'neutra' para as ações, citando principalmente os níveis contínuos de spread de petroquímicos atualmente nas mínimas do ciclo, além de fatores negativos enfrentados pela empresa. O preço-alvo para o final de 2020 foi ajustado a 34,5 reais, de 36,9 reais para o final de 2019.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia