IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Cotações


Bitcoin despenca a menor nível desde maio após fala de presidente do Facebook

23/10/2019 15h17

LONDRES, 23 Out (Reuters) - O preço do bitcoin despencava cerca de 7% nesta quarta-feira, atingindo o menor nível desde meados de maio, depois que o presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, expressou no Congresso dos Estados Unidos dúvidas sobre se o plano de lançamento da moeda digital libra vai sair do papel.

Por volta de 15h, a cotação do bitcoin na Bolsa Bitstamp, em Luxemburgo, caía 6,6%, para US$ 7.493, após ter recuado para abaixo de US$ 7.300, menor valor em cinco meses.

Durante audiência no Comitê de Serviços Financeiros da Casa dos Representantes dos EUA, Zuckerberg admitiu que não saber se a libra vai funcionar. Mas ele reafirmou a parlamentares que o Facebook não vai apoiar o projeto da criptomoeda se o grupo por trás dela não resolver todos os questionamentos das autoridades regulatórias dos EUA.

"O bitcoin rapidamente passou a recuar após o depoimento de Zuckerberg começar", disse Edward Moya, analista sênior de mercado na OANDA, em Nova York. "Atualmente há um crescente sentimento de que nunca veremos a libra em funcionamento e isso é um potencial revés para todo o mercado de criptomoedas."

A libra é projetada para ser uma moeda digital lastrada por uma reserva de ativos físicos, incluindo depósitos bancários e títulos governamentais de curto prazo, e detida por uma rede de custodiantes.

Mas os planos da Associação Libra, encabeçada pelo Facebook, atraíram críticas de autoridades regulatórias ao redor do mundo sobre o impacto da moeda digital no sistema financeiro, privacidade de usuários e o potencial para lavagem de dinheiro.

Além das preocupações sobre a libra, Charles Hayter, presidente-executivo da CryptoCompare, também citou que após um otimismo no início do ano que ajudou a impulsionar os preços de criptomoedas, "temos visto um enfraquecimento de volumes de negócios e pressão regulatória de uma série de jurisdições".

O bitcoin está em tendência de queda desde no segundo semestre, acumulando queda de cerca de 47% desde o fim de junho.

Cotações