PUBLICIDADE
IPCA
1,15 Dez.2019
Topo

ENTREVISTA-Golar participará de novos leilões de energia; aposta em caminhões a GNL

06/12/2019 17h45

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A empresa de Gás Natural Liquefeito Golar Power Latam está otimista em relação ao crescimento econômico brasileiro e participará ativamente dos próximos leilões de energia para a contratação de novas usinas térmicas movidas a GNL, afirmou à Reuters nesta sexta-feira o presidente da companhia, Eduardo Antonello.

Atualmente, a empresa --uma joint venture formada entre a norueguesa Golar LNG e o fundo Stonepeak-- detém 50% das Centrais Elétricas de Barcarena (Celba) e das Centrais Elétricas de Sergipe (Celse), que contam com projetos em implementação que somam 2,2 gigawatts (GW), detalhou o executivo.

"Estaremos super ativos nos próximos leilões, temos vários projetos no Brasil inteiro que a gente já desenvolveu e a gente pretende participar com eles", disse Antonello, em uma entrevista por telefone, evitando dar mais detalhes sobre o que poderá ser contratado.

O executivo destacou que as usinas da empresa já contratadas têm um preço "bem atraente", na comparação com outras já em operação no país.

Mas a geração térmica é apenas uma das áreas de interesse da empresa, que vem apostando em projetos simultâneos pelo país, essencialmente para logística de abastecimento de GNL.

Atualmente, segundo o presidente, a empresa tem uma carteira diversa de projetos no Brasil, com investimentos estimados em cerca de 7 bilhões de reais entre 2016 e 2023, dos quais aproximadamente 4 bilhões já foram empenhados. E ainda há mais por vir.

"A gente está muito focado na questão do GNL no Brasil, o foco é o desenvolvimento de infraestrutura", frisou.

Dentre outros negócios, a Golar Power está à frente da construção de três terminais de regaseificação, que somam capacidade de suprimento de quase 60 milhões m³/dia, e que serão destinados para energia elétrica e para suprir a demanda de indústrias e do abastecimento de veículos a gás. 

OTIMISMO COM BRASIL

Como parte da estratégia, a Golar Power anunciou nesta sexta-feira uma parceria com a Alliance GNLog, que prevê o fornecimento de GNL para caminhões desta empresa de logística.

A tecnologia ainda inédita no Brasil permitirá que os caminhões sejam abastecidos com gás em estado líquido, garantindo autonomia de cerca de mil quilômetros aos veículos.

Tais caminhões já existem em outros países da Europa e também da China. Segundo a Golar, 300 mil caminhões a GNL rodam em território chinês.

Por meio da parceria, a Golar fornecerá o combustível, enquanto a Alliance GNLog fará o transporte do gás para os clientes industriais da companhia, além de prestar serviços de transporte de cargas gerais a outros clientes.

Com o projeto, a companhia reforça sua confiança na retomada da economia brasileira, prevendo inclusive a substituição de caminhões movidos a diesel pelos novos a GNL, que serão trazidos pela sua parceira Alliance GNLog.

"O Brasil tem um consumo de diesel gigantesco... Em um primeiro momento, a meta da Golar é substituir diesel importado por GNL. A gente enxerga que tem um benefício econômico para o país muito grande", afirmou, pontuando que o GNL é menos poluente e mais barato.

"O nosso grupo está muito otimista em relação a Brasil, esse governo atual está tomando as medidas corretas para fomentar o crescimento econômico do país, a gente está apostando justamente em um crescimento potencial muito grande."

Os primeiros quatro veículos movidos a GNL da marca Shacman já estão em solo nacional, cumprindo uma agenda de homologação e testes, que prevê uma frota de mil caminhões da Alliance GNLog movidos a GNL até o fim do próximo ano, disse Antonello.

Nos próximos meses, a Alliance GNLog irá executar testes de rodagem e uma série de demonstrações para potenciais clientes, como Maratá e AmBev.

Em uma fase inicial, segundo a Golar, serão instaladas unidades móveis de abastecimento de GNL da Golar em Sergipe e São Paulo, já autorizadas pela agência reguladora ANP.

O projeto prevê a instalação de 35 postos de abastecimento, em 11 eixos de corredores rodoviários por onde há intenso fluxo de transporte de carga e escoamento da produção agrícola.

O anúncio da parceria será feito na próxima segunda-feira, em Aracaju (SE), durante a cerimônia de instalação do Fórum Sergipano de Petróleo & Gás, com a presença de autoridades e de executivos das empresas.

Economia