PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Itaú Unibanco vê inflação de 3,50% em 2020 com viés de baixa e novo corte da Selic no radar

10/01/2020 11h36

SÃO PAULO (Reuters) - A estimativa do Itaú Unibanco para o IPCA de 2020 contempla inflação abaixo do centro da meta e tem inclusive viés de baixa, depois de a alta dos preços em 2019 ter ficado acima do patamar central perseguido pelo Banco Central pela primeira vez desde 2016.

O banco prevê que o IPCA varie 3,50% em 2020, abaixo do centro da meta do governo, de 4,00%. Isso após o índice ter fechado 2019 com alta de 4,31%, acima dos 4,25% buscados pelo BC, depois de dois anos de taxas abaixo do centro da meta estipulada. [nL1N29F07X]

De acordo com Julia Araujo, economista sênior do Itaú, já neste mês de janeiro os preços das carnes --vilão do fim do ano passado-- devem mostrar deflação, com a arroba do boi gordo estando na casa de 200 reais depois de ter superado 230 reais no fim do ano passado.

"A expectativa é parte dessas altas fortes do fim de 2019 se revertam em parte, o que, junto com a queda do dólar, nos faz adicionar um viés de baixa à nossa projeção (para o IPCA de 2020)", disse Araujo.

O dólar caiu 5,37% em dezembro passado --maior baixa para qualquer mês desde janeiro de 2019, depois de em novembro ter disparado para perto de 4,30 reais e gerado temores de algum impacto mais visível sobre a inflação.

A economista do Itaú, porém, disse que mesmo em 2019 a inflação mais associada ao ritmo da economia --que considera serviços e bens industriais-- ficou "bem comportada", com alta de 2,9%, bem abaixo dos 4,25% do centro da meta, indicação de que não há pressões inflacionárias mais destacadas.

A previsão pelo Itaú de inflação abaixo da meta em 2020 corrobora expectativa do banco de novos cortes da Selic, que deverá terminar este ano em 4,00%, 0,50 ponto percentual abaixo do patamar corrente. A mais recente pesquisa Focus do Banco Central aponta juro básico de 4,50%, conforme mediana das projeções. [nL1N29B07O]

(Por José de Castro)