PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Dólar vai acima de R$4,20 com temores sobre vírus e foco em Davos

21/01/2020 10h23

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - Os temores sobre a disseminação de um vírus na China derrubavam o apetite por risco em todo o mundo, levando o dólar a subir contra o real no pregão desta terça-feira acima de 4,20 reais, com os investidores também de olho no Fórum Econômico Mundial de Davos.

O número de mortos pelo surto de coronavírus na China subiu para seis nesta terça-feira, e as autoridades relataram um aumento em novos casos, com receios de que a cifra de infecção aumente ainda mais com as viagens de centenas de milhões de pessoas para o feriado chinês do Ano Novo Lunar.

Autoridades confirmaram que o novo vírus misterioso pode se espalhar entre humanos e disseram que 15 pessoas de equipes de saúde já foram infectadas, alimentando temores sobre uma pandemia internacional.

"Além da óbvia preocupação com a saúde da população da região, e também global, os mercados adotam cautela, especialmente na China, tendo em vista potenciais impactos na atividade", disse em nota a Commcor DTVM.

Nos mercados de câmbio internacionais, as moedas seguras, como o iene japonês, beneficiavam-se da aversão a risco gerada pela doença, enquanto divisas emergentes, como a lira turca e o peso mexicano, se depreciavam.

Os investidores também estavam atentos ao Fórum Econômico Mundial de Davos, marcado por falas preocupantes do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que afirmou que a maioria das tarifas será mantida na segunda fase de negociações comerciais com a China.

A fala de Trump vem na esteira da assinatura da Fase 1 do acordo comercial que marcou um passo importante para a resolução da guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo, que abalou os mercados internacionais por 18 meses.

Às 10:20, o dólar avançava 0,11%, a 4,1940 reais na venda. O contrato mais líquido de dólar futuro ganhava 0,04% na B3, a 4,196 reais.

Na máxima do dia, o dólar interbancário tocou os 4,2094 reais, patamar mais alto desde 5 de dezembro do ano passado.

Segundo Jefferson Laatus, sócio fundador do Grupo Laatus, existe a possibilidade de a divisa norte-americana voltar a ser negociada em níveis acima de 4,20, como aconteceu no final de 2019, já que, até o momento, "não há sinalização do BC de que vai controlar essa alta".