PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Dólar recua ante real após disparar na véspera de olho em coronavírus e política monetária

28/01/2020 09h13

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - Depois de uma disparada na véspera devido a temores sobre o surto de coronavírus chinês, o dólar recuava contra o real nesta terça-feira, com os mercados passando a focar nas decisões de política monetária do Brasil e dos Estados Unidos.

Às 10:10, o dólar recuava 0,26%, a 4,1990 reais na venda. Apesar da queda, a divisa norte-americana continuava em patamares elevados, chegando a alcançar 4,2080 na máxima intradia em meio à permanência da cautela em relação à epidemia chinesa.

O contrato mais líquido de dólar futuro tinha queda de 0,31% nesta terça-feira, a 4,197 reais.

No exterior, a divisa tinha desempenho misto em relação a emergentes e ganhava contra uma cesta de moedas.

A China informou nesta terça-feira que 106 pessoas morreram devido ao coronavírus e que o número total de casos confirmados no país aumentou para 4.515 em 27 de janeiro, contra 2.835 relatados no dia anterior.

Na segunda-feira, a aversão a risco gerada pela doença impulsionou o dólar a uma máxima em quase dois meses, de 4,2101 reais na venda, alta de 0,59%.

"Hoje o dia é de mais tranquilidade", disse Jefferson Laatus, sócio fundador do grupo Laatus. "Ontem os mercados reagiram fortemente ao vírus, mas agora quase toda a ideia do vírus foi precificada", completou, mas alertando que os temores ainda não foram superados.

"O mercado, quando entra nessa maior tranquilidade, começa a olhar para outras coisas, como a decisão de juros do Fed amanhã e do Copom na semana que vem", afirmou Laatus.

Na quarta-feira será divulgado o resultado da reunião de política monetária do Federal Reserve, que teve início nesta terça-feira, com ampla expectativa de que o banco central norte-americano mantenha a taxa de juros.

No Brasil, o Banco Central divulgará na semana que vem sua decisão sobre os juros, com analistas esperando um corte de 0,25 ponto percentual, segundo a última pesquisa Focus.