PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Ultrapar considera eventual sócio estratégico para refinarias da Petrobras

Paulo Whitaker
Imagem: Paulo Whitaker

20/02/2020 13h09

A Ultrapar tem interesse em atrair um sócio estratégico para apresentar propostas de compra das refinarias da Petrobras, afirmou nesta quinta-feira o presidente do conglomerado, Frederico Curado.

A entrega das propostas pelas refinarias da Petrobras deve ocorrer entre março e abril e a assinatura dos contratos deve acontecer mais para o final do ano. Curado afirmou em teleconferência com analistas que o interesse da Ultrapar em atrair um sócio para a empreitada é obter "conhecimento para a operação (das refinarias) e também para o 'trade' em si".

Ele não deu detalhes sobre quais refinarias a Ultrapar tem interesse ou níveis de eventuais sinergias esperadas, mas afirmou que a tendência de ativos privatizados é de valorização, uma vez que a "Petrobras tem que administrar todo o conjunto de refinarias por uma média capaz suprir todo o país com derivados" enquanto uma gestão mais individualizada de cada ativo teria potencial de destravar valor para os compradores. "Otimização de estoques também seria uma potencial sinergia", disse.

A Ultrapar divulgou na noite da véspera lucro ajustado de 133 milhões de reais para o quarto trimestre, em um balanço que trouxe impacto de uma baixa contábil de mais de meio bilhão de reais na rede de drogarias do grupo, a Extrafarma. As ações da companhia lideravam as perdas do Ibovespa nesta quinta-feira, mostrando desvalorização de cerca de 7%.

Questionado sobre a estratégia do grupo para seus ativos, Curado afirmou que a Ultrapar "não tem operações de fusões e aquisições como objetivo em si, mas há uma evolução clara do nosso entendimento que uma maior flexibilidade do modelo societário pode e deve ser considerada se e quando houver oportunidade".

O executivo ainda disse que a cultura da companhia está migrando de um modelo em que "temos que ser donos de 100% de nossos negócios para uma cultura de que, sim, podemos ter sócios".

Sobre o principal negócio da Ultrapar, a rede de postos de combustíveis Ipiranga, o diretor financeiro do grupo, André Dias, afirmou que a empresa deverá reduzir despesas operacionais e administrativas em 80 milhões a 100 milhões de reais nos próximos 12 a 18 meses. Ele afirmou ainda que a Ipiranga contratou 20 cientistas de dados para criar um sistema de precificação mais adequado uma vez que "o mercado está muito diferente de 5 a 6 anos atrás".

Segundo Dias, o mercado de distribuição de combustíveis segue mostrando competição "acirrada", mas a Ipiranga deverá seguir mostrando melhoria de resultados em 2020 em meio a ações da companhia para melhoria de produtividade e investimentos em infraestrutura "que vão melhorar o custo de servir o cliente".

A Ultrapar terminou 2019 com nível de alavancagem de 2,87 vezes o Ebitda ajustado, acima das 2,72 vezes do final de setembro. Respondendo à questão sobre estimativa para esta linha em 2020, Dias afirmou que "o ideal, levando em conta a geração de Ebitda que estamos esperando, é algo mais próximos de 2 vezes que 3 vezes".