PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Minerva anuncia suspensão de abates em 4 plantas em meio a efeitos do coronavírus

Paulo Whitaker
Imagem: Paulo Whitaker

Nayara Figueiredo

São Paulo

17/03/2020 10h31

SÃO PAULO (Reuters) - A Minerva Foods anunciou nesta terça-feira que operações de abate serão suspensas em quatro unidades da companhia no Brasil como medida preventiva contra a transmissão do coronavírus e por problemas logísticos também relacionados à doença.

A partir do dia 23, serão concedidas férias coletivas aos colaboradores das unidades Janaúba (MG), José Bonifácio (SP), Mirassol D´Oeste (MT) e Paranatinga (MT), que devem durar entre dez e quinze dias, a depender da planta, disse a companhia em nota.

Funcionários das áreas administrativas, dos escritórios da Minerva em São Paulo (SP) e Barretos (SP), passaram a trabalhar em regime remoto como medida preventiva.

"A decisão também está alinhada à piora dos cenários doméstico e global, que inclui queda da demanda no segmento de 'food service' e limitações logísticas em diversas partes do mundo", acrescentou a empresa.

O anúncio da companhia confirma reportagem publicada pela Reuters na véspera com informação de fontes, segundo a qual a Minerva deveria suspender operações de abates em algumas unidades no Brasil em meio a problemas logísticos na China decorrentes do combate ao coronavírus.

A principal limitação logística das companhias de carnes neste momento é a ausência de contêineres disponíveis para exportação, pois parte dos que foram enviados para a China ficaram com cargas paralisadas no país em fevereiro e ainda não retornaram ao Brasil.

A paralisação de cargas nos portos chineses, definida pelo governo do país, foi uma medida de contenção do coronavírus e afetou a distribuição local dos produtos importados.

A Minerva ainda afirmou que as férias coletivas são a melhor opção a ser seguida, "tendo em vista que permitem preservar a economia de escala das operações industriais".

"Adotaremos medidas comerciais para apoiar nossos clientes do segmento de 'food service' e seguiremos colaborando com nossos operadores logísticos, sem colocar em risco as medidas aplicadas para evitar a disseminação do vírus", enfatizou a companhia.

(Por Nayara Figueiredo)