PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Nasdaq bate recorde e confirma mercado de alta com esperanças de recuperação econômica

Caroline Valetkevitch

08/06/2020 17h11

O Nasdaq bateu um recorde de fechamento nesta segunda-feira, confirmando um mercado de alta que iniciou-se em 23 de março, e o Dow Jones e o S&P 500 avançaram à medida que cresciam as expectativas por uma rápida recuperação em decorrência de uma desaceleração causada pelo coronavírus.

O S&P 500 encerrou em território positivo no acumulado do ano.

O movimento de alta das ações de tecnologia e de comunicação gerou ganhos ao Nasdaq, que confirmou um novo mercado de alta apenas 16 semanas depois que os receios ao coronavírus atingiram em cheio as ações e encaminharam a economia norte-americana para uma recessão.

O Nasdaq avançou 44,7% em relação à mínima de 23 de março. Geralmente, um mercado é considerado de alta (bull market) quando há uma valorização superior a 20% em relação ao pico mais baixo do ciclo anterior.

O relatório mensal da criação de empregos dos EUA mostrou na sexta-feira uma queda inesperada na taxa de desemprego, impulsionando a visão de que o pior dos danos econômicos causados pelo surto do vírus havia terminado.

"É o otimismo em torno da reabertura da economia global e a provável confirmação de que a economia dos EUA experimentará uma recuperação em forma de 'V' no segundo semestre", disse Sam Stovall, estrategista-chefe de investimentos da CFRA Research, em Nova York.

As ações aumentaram os ganhos ao fim da sessão, depois que o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) flexibilizou os termos do seu programa de empréstimos "Main Street".

O setor de energia foi o que mais se valorizou entre os 11 principais setores do S&P, tendo alta de 4,3%, uma vez que os principais produtores de petróleo concordaram, no fim de semana, em estender um acordo sobre cortes recordes de produção.

O Dow Jones valorizou 1,7%, para 27.572,44 pontos, o S&P 500 teve alta de 1,20%, para 3.232,39 pontos e o Nasdaq avançou 1,13%, para 9.924,75 pontos.

Os investidores também irão se concentrar, nesta semana, na reunião de política monetária de dois dias do Fed, que encerra-se na quarta-feira, onde o relatório de empregos provavelmente será debatido.

Será a primeira reunião desde abril, quando o chair do Fed, Jerome Powell, afirmou que a economia dos EUA poderia sentir o peso da paralisação econômica por mais de um ano.

(Reportagem adicional de Devik Jain e Medha Singh em Bengaluru)

Economia