PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Exportações alemãs recuam em abril após coronavírus massacrar demanda

09/06/2020 08h55

Por Madeline Chambers

BERLIM (Reuters) - As exportações e importações alemãs caíram em abril, registrando seus maiores declínios desde que os registros começaram em 1990, depois que a demanda secou sob o bloqueio do coronavírus, representando ainda mais pessimismo para as perspectivas da maior economia da Europa.

Enfrentando sua recessão mais profunda desde a Segunda Guerra Mundial, a grande questão é a rapidez com que a economia orientada para a exportação da Alemanha pode se recuperar de uma paralisação que interrompeu a produção e prejudicou o varejo agora que as restrições foram relaxadas.

As exportações ajustadas sazonalmente despencaram 24% no mês, ficando muito aquém das expectativas dos economistas, enquanto as importações caíram 16,5%. O superávit comercial caiu para 3,2 bilhões de euros, informou o Escritório Federal de Estatística do país nesta terça-feira.

Economistas consultados pela Reuters esperavam que as exportações recuariam 15,6% e que as importações perderiam 16%. Esperava-se que o superávit comercial chegaria a 10,0 bilhões de euros.

"Pouco resta do 'boom' de exportações da última década", disse Alexander Krueger, economista do Bankhaus Lampe.

Uma recuperação já pode ter começado devido a um afrouxamento do bloqueio e à reabertura de fronteiras, completou. "Mas a estrada para fora do corona é longa, turbulenta e, acima de tudo, incerta, especialmente para o comércio exterior."

A associação industrial BDI projeta que as exportações alemãs cairão cerca de 15% este ano e as importações recuarão cerca de 12%.

Economia