PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Ministério da Saúde volta a divulgar dados completos sobre Covid-19 após decisão do STF

09/06/2020 17h37

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério da Saúde voltou a divulgar na tarde desta terça-feira dados completos sobre a pandemia do novo coronavírus no Brasil após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter determinado que a pasta voltasse a apresentar diariamente todos os dados epidemiológicos, inclusive os números acumulados de ocorrências e de mortes causadas pela doença respiratória provocada pelo novo coronavírus.

O "Painel Coronavírus", principal ferramenta de dados sobre a doença no país, havia sido alterado na sexta-feira para demonstrar apenas os casos e óbitos nas últimas 24 horas, sem contar com dados históricos, números acumulados e informações regionalizadas, além de outros dados.

O site voltou a apresentar todas as informações nesta tarde, depois que o ministro do STF atendeu parcialmente a um pedido de liminar dos partidos Rede, PCdoB e PSOL que buscava que o governo do presidente Jair Bolsonaro divulgue diariamente, até as 19h30, dados detalhados sobre a pandemia de Covid-19.

O ministro do STF tinha dado 48 horas para o governo cumprir a decisão e retornar a divulgação dos dados da forma como fazia desde o início da pandemia no país até o último dia 4 de junho.

A decisão do Supremo ocorreu pouco depois de o ministério ter recuado de decisão anteriormente anunciada de divulgar somente às 22h os dados de novos infectados e mortos por Covid-19 no país e anunciar que a apresentação das informações consolidadas será mais cedo, por volta das 18h.

O recuo ocorreu após duas críticas sobre a falta de transparência feitas por autoridades do Congresso, do Judiciário e de especialistas da área de saúde no Brasil e no exterior.

Mais cedo nesta terça-feira, em audiência na Câmara dos Deputados, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, defendeu uma nova plataforma em desenvolvimento pela pasta para divulgação de dados da Covid-19 e negou que o governo tenha tentado omitir dados ao mudar o formato de divulgação de ocorrências e de mortes provocadas pelo novo coronavírus no país.