PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Liquidez global ofusca tensão política interna e Ibovespa sobe 4% na semana

19/06/2020 17h07

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista teve uma sessão volátil nesta sexta-feira, com o Ibovespa encerrando em alta e acumulando desempenho semanal positivo, em meio a um ambiente de ampla liquidez global, que continuou prevalecendo sobre tensões políticas e um cenário econômico ainda desafiador no país.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,46%, a 96.572,10 pontos. Na semana, acumulou alta de 4,07%. O volume financeiro nesta sexta-feira totalizou cerca de 38,4 bilhões de reais.

O Ibovespa chegou a alcançar 97.540,33 pontos na primeira etapa da sessão em meio a notícias de que a União Europeia começou o processo de aprovação de um pacote de estímulo sem precedentes no bloco de 750 bilhões de euros, além de notícias mais positivas sobre as relações comerciais EUA-China.

No começo da tarde, porém, notícia de que a Apple voltará a fechar algumas lojas nos Estados Unidos por causa de aumento no número de novos casos de coronavírus naquele país derrubou Wall Street e arrastou o Ibovespa, que tocou a mínima da sessão, renovada mais tarde, a 95.874,30 pontos.

Além disso, o chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou que a recuperação econômica dos EUA da epidemia do coronavírus é desafiadora enquanto o presidente do Fed de Mineápolis, Neel Kashkari, disse que pode haver uma segunda onda de infecções no outono norte-americano.

O Departamento de Pesquisa Econômica do Bradesco observa que a possibilidade de uma segunda onda de contágio pelo novo coronavírus aumenta a incerteza sobre o ritmo de recuperação da economia global, com novos casos de Covid-19 voltando a aparecer na China e em alguns Estados dos EUA.

"As sondagens empresariais e com consumidores nas principais economias continuam apontando para recuperação já em maio, mas essa percepção precisa ser corroborada pelos dados efetivos", afirmou, ponderando, contudo, que o Fed e outros BCs continuam sinalizando que estímulos seguirão presentes.

Na visão do estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, o excesso de liquidez disponibilizado pelos bancos centrais continua a se sobrepor sobre qualquer outro aspecto econômico ou financeiro, e até mesmo político, enquanto não houver risco de um evento mais extremo, como um processo de impeachment.

A prisão de um ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, acrescentou Kawa, traz mais uma pitada de incerteza ao ambiente, e a bolsa pode vir a sofrer. Mas ele ressaltou que o mercado acionário brasileiro está sendo bem sustentado pela liquidez global, além de uma taxa de juros historicamente baixa.

DESTAQUES

- CCR ON e ECORODOVIAS ON subiram 2,7% e 1,85%, respectivamente, endossadas pelo cenário de juros baixos, além de perspectiva de reabertura de atividades no país.

- SULAMÉRICA UNIT avançou 3%, tendo de pano de fundo relatório do UBS recomendando a compra dos papéis, com preço-alvo em 12 meses de 54 reais.

- BB SEGURIDADE ON subiu 3,5%, ajudada por relatório do BTG Pactual, no qual os analistas relatam reunião com executivo da empresa em que ele afirmou que a tendência de recuperação positiva continuou nas últimas semanas e que o desempenho operacional está perto das expectativas pré-Covid.

- MRV ON fechou em alta de 5,7%, como setor imobiliário entre os destaques, uma vez que tende a se beneficiar o ambiente de juros baixos.

- CVC BRASIL ON subiu 3,3%, tendo no radar fala do presidente da operadora de turismo ao Valor Econômico de que a empresa se prepara para retomar 100% das suas atividades a partir de 1º de julho. A ação está entre as que mais sofreram com a pandemia e ainda acumula perda de mais de 50% em 2020.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON caíram 0,6% e 1,4%, respectivamente, abandonando o fôlego da primeira etapa da sessão, apesar de nova alta dos preços do petróleo no exterior.

- VALE ON caiu 1,8%, em sessão de variação tímida dos preços do minério de ferro na China, embora os contratos futuros tenham registrado o sétimo ganho semanal.

- USIMINAS PNA valorizou-se 2,65%, ajudada por relatório do Bradesco BBI, que elevou recomendação para 'neutra', assim como aumentou o preço-alvo da empresa e suas pares no setor. GERDAU PN subiu 0,98%, mas CSN ON encerrou em baixa de 3,8%.

- ITAÚ UNIBANCO PN avançou 1,96%, ampliando o desempenho positivo da véspera, na esteira da forte valorização recente das ações da XP, na qual tem participação relevante. Neste mês, a XP já acumula alta de cerca de 55%. Já BRADESCO PN subiu 0,3% e BANCO DO BRASIL ON cedeu 1,34%.

- MARFRIG ON caiu 2%, em meio à queda do dólar ante o real, além de notícia de que a autoridade aduaneira da China pediu que os exportadores de alimentos ao país assinem uma declaração de que seus produtos não estão contaminados pelo novo coronavírus MINERVA ON terminou em alta de 1,3% e JBS ON, que chegou a oscilar no azul, fechou em queda de 0,4%.

Economia