PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Vendas de novas moradias nos EUA se recuperam, recuo da atividade empresarial perde força

23/06/2020 13h58

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - As vendas de novas moradias para uma única família nos Estados Unidos aumentaram mais do que o esperado em maio, enquanto a atividade empresarial recuou apenas moderadamente este mês, sugerindo que a economia norte-americana está prestes a se recuperar da recessão causada pela crise do Covid-19.

Mas um ressurgimento de casos confirmados de coronavírus em todo o país ameaça os sinais iniciais de melhoria evidentes nos dados econômicos desta terça-feira. Muitos Estados norte-americanos relataram altas diárias recordes de infecções por Covid-19, que especialistas em saúde atribuíram à reabertura precoce da economia por alguns governos locais.

A economia se estabilizou desde que os negócios reabriram após o fechamento obrigatório em meados de março para controlar a propagação da doença respiratória.

O Departamento de Comércio norte-americano informou nesta terça-feira que as vendas de novas residências saltaram 16,6%, a uma taxa anual ajustada sazonalmente de 676 mil unidades no mês passado. As vendas de novas casas são registradas após a assinatura de um contrato, tornando-as um importante indicador no mercado imobiliário.

As vendas caíram 5,2% em abril, para um ritmo de 580 mil unidades.

Economistas consultados pela Reuters previam que as vendas de novas moradias, que representam cerca de 14,7% das vendas no mercado imobiliário, subiriam 2,9% em maio, para um ritmo de 640 mil.

As vendas de novas casas são extraídas de licenças. As vendas subiram 12,7% em relação ao ano anterior em maio. O relatório veio na esteira de dados da semana passada que mostraram os pedidos de compra de imóveis em uma máxima em 11 anos em meados de junho, com as licenças para construção se recuperando fortemente em maio.

A economia em geral entrou em recessão em fevereiro, deixando quase 20 milhões de pessoas desempregadas a partir de maio.

Em relatório separado, a empresa de dados IHS Markit disse nesta terça-feira que seu Índice de Gerentes de Compras preliminar Composto dos EUA, que acompanha os setores de manufatura e serviços, subiu para 46,8 no mês passado, ante 37 em maio. Uma leitura abaixo de 50 indica contração na produção do setor privado.

O PMI preliminar da pesquisa do IHS Markit para o setor de serviços subiu para 46,7 em junho, ante 37,5 no mês anterior. A contração na atividade industrial também perdeu força este mês, com o PMI preliminar da manufatura subindo para 49,6, de 39,8 em maio.