PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

Governo estadual antecipa calendário e cidade de São Paulo poderá reabrir cinemas no fim do mês

03/07/2020 14h47

Por Pedro Fonseca

(Reuters) - A cidade de São Paulo provavelmente poderá voltar a realizar atividades culturais, eventos e convenções com público sentado a partir de 27 de julho, após uma antecipação do calendário de flexibilização das medidas de redução de circulação de pessoas decretadas para conter o coronavírus, anunciou o governo estadual nesta sexta-feira.

A abertura de cinemas, teatros, museus, galerias e bibliotecas, entre outras instalações culturais, estava prevista inicialmente para a quinta e última fase do plano de reabertura das atividades econômicas em São Paulo, mas foi antecipada em dois estágios, para a fase 3, pelo governo estadual.

Assim como as atividades culturais, o governo paulista também antecipou a reabertura das academias de ginástica, que anteriormente só poderiam voltar a funcionar na fase 4.

"O que nós fizemos, com diálogo extenso entre os setores e o centro de contingência (do coronavírus), foi ver quais são novos modelos de funcionamento que permitem o funcionamento em outras etapas, com controles adequados para a saúde, mas também garantindo o mínimo funcionamento necessário da economia para setores que estão sofrendo tanto", disse a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, em entrevista coletiva no Palácio Bandeirantes, sede do governo do Estado.

Atualmente, apenas o município de São Paulo e as subregiões Sudoeste e Sudeste se encontram na terceira fase, com a maior parte do interior do Estado ainda na fase 1, onde estão autorizadas apenas atividades consideradas essenciais.

Nos locais autorizados, as atividades culturais com público sentados voltarão a ser permitidas quando os municípios permanecerem por 28 dias consecutivos na terceira fase do calendário. Como exemplo, na capital paulista isso ocorreria em 27 de julho, caso a cidade não sofra um retrocesso no enfrentamento ao coronavírus.

Cinemas, museus, teatros e demais locais poderão funcionar por um período de 6 horas por dia, com 40% de ocupação, e com regras como venda de ingressos apenas online, distanciamento entre os assentos, uso de máscara e sem consumo de alimentos e bebidas.

No caso das academias, elas terão restrição de capacidade de 30%, exigência de agendamento prévio e outras normas de higiene e protocolos de distanciamento.

Grandes eventos e demais atividades que geram aglomeração também foram antecipados. Em vez de serem liberados apenas na última fase de flexibilização, agora isso vai ocorrer na penúltima, mas esses eventos só poderão ser realizados quando o município permanecer por 28 dias consecutivas na fase verde. A data prevista pelo governo paulista é 12 de outubro, com restrição de público, distanciamento entre as pessoas, uso de máscara e protocolos de higiene.

"Atualizações de planos de gestão da pandemia são realizadas no mundo inteiro" disse Ellen. "O que nós estamos fazendo é minimizando essas atualizações para o minimamente necessário para garantir uma previsibilidade para esses setores."

A antecipação do calendário ocorreu após o governo paulista anunciar nesta semana que a curva da pandemia de Covid-19 no Estado mudou e que se aproxima de uma estabilidade, o chamado platô.

Ainda assim, São Paulo registrou na véspera 12.244 casos novos de coronavírus, elevando o total para 302.179 --o maior número entre todos os Estados do país. Também foram registradas na véspera mais 321 mortes por Covid-19, totalizando 15.351 óbitos no Estado.