PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Eletrobras prepara volta ao escritório após teletrabalho; começa pela Chesf

16/07/2020 16h01

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A elétrica estatal Eletrobras começou promover o retorno de seus funcionários às atividades presenciais após meses de teletrabalho devido à pandemia de coronavírus, em movimento que será gradual e teve início pela subsidiária Chesf, da Região Nordeste.

A maior empresa de eletricidade da América Latina, que emprega mais de 12 mil pessoas, colocou quase 65% do quadro para atuar de forma remota desde meados de março, visando reduzir a disseminação do vírus.

O retorno às instalações físicas teve início nesta quarta-feira, na Chesf, enquanto as atividades na holding Eletrobras têm previsão de volta a partir de 4 de agosto, disse a companhia à Reuters.

Em paralelo, a empresa passou a realizar estudos para avaliar eventuais oportunidades decorrentes desse período de trabalho remoto, como uma eventual permanência de equipes em teletrabalho.

"O retorno aos escritórios se dará de forma gradual e em ondas, considerando fatores como idade e condições de saúde das pessoas que irão compor os grupos, permitindo que a empresa teste, avalie e faça os ajustes em protocolos e processos de mitigação antes de reabrir o escritório para maiores contingentes", disse a estatal em nota.

Na Chesf, que concentra negócios da Eletrobras no Nordeste, a retomada foi dividida em quatro etapas, mediante avaliações de risco dos funcionários.

A segunda equipe deve voltar às atividades presenciais em 3 de agosto, enquanto a terceira coincidiria com a retomada das aulas nas escolas. O retorno de todos trabalhadores aconteceria em uma quarta etapa, ainda sem previsão de data.

Na Eletrobras holding, as primeiras equipes voltariam em 4 de agosto, o que envolveria até 240 empregados, divididos em duas turmas que atuarão em rodízio, de duas em duas semanas.

A cada "onda de retorno", as condições serão analisadas, podendo haver modificações de acordo com reavaliação da diretoria da estatal.

Mudanças em datas de flexibilização definidas por órgãos públicos também poderão impactar o ritmo, acrescentou a companhia.

A elétrica disse ainda que começou a avaliar a possibilidade de manter alguns empregados em regime remoto, embora não haja qualquer definição sobre isso no momento.

"A empresa, em conjunto com suas subsidiárias, está desenvolvendo um estudo, visando verificar as oportunidades surgidas durante este período, bem como as necessidades de melhorias", explicou a Eletrobras, após questionamento da Reuters.

A companhia afirmou ainda que um comitê de crise definiu protocolos e procedimentos para garantir a segurança nesse retorno, o que inclui medidas como maior distanciamento dos postos de trabalho e medidas de higienização, por exemplo.

A Eletrobras também tem adotado um sistema de monitoramento da saúde dos funcionários por meio de uma ferramenta que fornece diariamente informações sobre o estado de saúde deles e eventuais sintomas.

Empregados que apresentem possíveis sintomas da Covid-19 são orientados pela área de saúde da companhia e não devem comparecer aos escritórios ou outras instalações da empresa.

A Eletrobras concentra um terço da capacidade de geração de energia do Brasil e quase metade dos sistemas de transmissão. A companhia possui uma subsidiária no Nordeste, a Chesf, e uma na Região Norte, a Eletronorte, além de Furnas, no Sudeste, e a Eletrosul, no Sul do país.