PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Em posse na Educação, Ribeiro diz ter compromisso com Estado laico apesar de formação religiosa

16/07/2020 17h01

BRASÍLIA (Reuters) - O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou em discurso na cerimônia de posse, nesta quinta-feira, que assume o cargo consciente dos preceitos constitucionais do Estado laico e do ensino público, apesar das convicções religiosas, e prometeu abrir um grande diálogo com o setor para tentar melhorar a qualidade do ensino no país.

"Conquanto tenha formação religiosa, meu compromisso, que assumo hoje ao tomar posse, está bem firmado e bem localizado em valores constitucionais da laicidade do Estado e do ensino publico", disse Ribeiro, que é pastor evangélico.

Ribeiro é o quarto nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro para o Ministério de Educação desde o início do governo, e sua posse encerra um vazio de quase um mês sem um ministro empossado desde que Abraham Weintraub deixou o cargo, em 18 de junho, em meio a polêmicas com o Supremo Tribunal Federal (STF).

Antes de Weintraub, que foi indicado para um posto no Banco Mundial, o colombiano Ricardo Vélez Rodríguez ficou no cargo pouco mais de três meses.

Carlos Alberto Decotelli chegou a ser nomeado como substituto de Weintraub no fim do mês passado, mas não chegou a tomar posse após a revelação de inconsistências em titulações do seu currículo acadêmico.

O novo ministro disse ter estudado a vida inteira, com exceção do ensino superior, em escola pública, e assumiu o compromisso de seguir a orientação do presidente de dar atenção ao ensino das crianças e ao ensino profissionalizante.

"Queremos abrir um grande diálogo para ouvir os acadêmicos e educadores que, como eu, estão entristecidos com o que vem acontecendo com a educação no nosso país", afirmou, acrescentando que o ensino profissionalizante é uma ponte para o mercado de trabalho.

Em participação remota na cerimônia de posse do ministro, uma vez que segue em isolamento no Palácio da Alvorada após ter testado positivo para a Covid-19 na semana passada, Bolsonaro elogiou o que chamou de capacidade de diálogo de Ribeiro, e disse que ele poderá escolher "pontualmente" alguns auxiliares.

"Você terá como pontualmente colocar gente ao teu lado com o mesmo espírito como o teu. Se bem que pode ter certeza que boa parte do ministério pensa como você", disse o presidente. A palavra "pontualmente" pode ser vista como uma indicação de que Ribeiro não terá liberdade total na pasta.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)