PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Ibovespa ensaia melhora e volta a flertar com 102 mil pontos

17/07/2020 11h32

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista buscava recuperar o viés positivo nesta sexta-feira, alinhada ao comportamento de praças acionárias no exterior, conforme volta a prevalecer a aposta de retomada econômica apoiada em estímulos fiscais e monetárias, mesmo com crescimento de casos de Covid-19 em países como os Estados Unidos.

Às 11:15, o Ibovespa subia 1,45%, a 102.012,69 pontos, caminhando para novo ganho semanal. Na máxima até o momento, o índice chegou a 102.072,44 pontos.

O volume financeiro era de 5,9 bilhões de reais nesta sessão, também marcada pelos ajustes de posição antes do vencimento de opções sobre ações na segunda-feira.

Em Nova York, o S&P 500 tinham acréscimo de 0,1%, com a temporada de resultados sob os holofotes, incluindo os números da BlackRock, maior gestor de fundo do mundo, que reportou salto no lucro trimestral.

Na visão do analista Milan Cutkovic, da AxiCorp, os mercados de ações parecem estar lentamente perdendo impulso, embora sentimento permaneça positivo, apoiado entre outros fatores em resultados encorajadores de experimentos para vacina e tratamento do novo coronavírus.

Ainda no exterior, começou nesta sexta-feira cúpula de líderes da União Europeia sobre um plano de muitos bilhões de euros para dar alento às suas economias, no primeiro encontro presencial desde que a pandemia de coronavírus mergulhou o bloco em sua crise mais recente.

No Brasil, a Caixa Econômica Federal retomou discussões para o IPO do seu braço de seguros e previdência Caixa Seguridade, enquanto a Profarma aprovou IPO da sua divisão de varejo farmacêutico d1000 com faixa indicativa de preço entre 17,00 e 20,32 reais por papel.

Além disso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo encaminhará ao Congresso na próxima terça-feira a primeira tranche da proposta da reforma tributária, que já está na Casa Civil.

Em paralelo, o Itaú BBA estimou o Ibovespa em 118 mil pontos em 2021, apoiado em cenário de revisão positiva nas expectativas de lucros de alguns setores com peso relevante no índice, bem como juros menores globalmente e continuidade da migração de recursos de poupança e renda fixa para ações.

DESTAQUES

- MARFRIG ON subia 5,28%, entre as maiores altas, em meio a expectativas positivas para o resultado do segundo trimestre. No setor, MINERVA ON avançava 2,12% e JBS ON tinha elevação de 3,41%.

- ELETROBRAS ON e ELETROBRAS PNB avançavam 3,85% e 3,84%, respectivamente, tendo ainda de pano de fundo expectativas sobre a privatização da estatal, apesar de sinais de que se trata de uma matéria de difícil aprovação no Congresso.

- CIELO ON subia 5,6%, revertendo as perdas da semana, embora analistas do Safra esperem que o resultado da companhia no segundo trimestre reflita efeito significativo do menor volume de transações por causa das medidas de distanciamento social contra a pandemia do Covid-19. No setor, PAGSEGURO e STONECO subiam 1,17% e 0,25%, respectivamente, em Nova York.

- BRADESCO PN e ITAÚ UNIBANCO PN ganhavam 0,85% e 0,96%, respectivamente, favorecidos pelo clima mais favorável, após perdas na véspera.

- PETROBRAS PN tinha alta de 0,26%, também recuperando-se do forte ajuste negativo da quinta-feira, apesar da fraqueza dos preços do petróleo no mercado internacional. PETROBRAS ON subia 0,17%.

- VALE ON tinha acréscimo de 0,75%, apesar da queda nos futuros do minério de ferro na bolsa de Dalian na China nesta sexta-feira, uma vez que registraram um segundo ganho semanal consecutivo, impulsionados pela demanda robusta das siderúrgicas naquele país. A companhia divulga na segunda-feira relatório de produção do segundo trimestre.

- CVC BRASIL ON caía 2,12%, entre as poucas quedas do Ibovespa na sessão, com AZUL PN e GOL PN também mostrando fraqueza, dado o cenário ainda nebuloso sobre o retorno de viagens e turismo após a pandemia.