PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

S&P tira CSN de "creditwatch", mantém rating e perspectiva negativa

17/07/2020 18h08

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - A agência de classificação de risco Standard & Poor's retirou a Companhia Siderúrgica Nacional de lista de observação com implicações positivas e manteve o rating da siderúrgica e mineradora em "B-", com perspectiva negativa.

A listagem de creditwatch da S&P tem como foco eventos identificáveis e tendências de curto prazo que possam levar a agência a colocar os ratings sob monitoramento especial. A empresa havia sido colocada na relação pela S&P em 22 de abril.

A agência afirmou que, embora a CSN tenha concluído refinanciamento de "parte substancial de sua dívida bancária", com Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, e anunciado outro acordo de pré-pagamento de minério de ferro na véspera, "suas métricas de crédito permanecerão altamente alavancadas".

"A perspectiva negativa reflete os riscos de novas ondas da pandemia e da consequente desaceleração econômica, o que poderia reduzir os fluxos de caixa da CSN e aumentar os riscos de refinanciamento além de 2020", afirmou a S&P.

A CSN, que divulga resultado de segundo trimestre em 5 de agosto, encerrou março com uma relação de dívida líquida sobre Ebitda ajustado de 4,78x, acima das 4,07 vezes do final de 2019 e das 3,77 vezes apuradas no primeiro trimestre de 2019.

Segundo a S&P, a alavancagem da CSN "permanecerá acima de 6 vezes nos próximos anos, e uma desalavancagem mais estrutural, com redução da dívida bruta, dependeria da venda de ativos", algo que a administração da empresa tem prometido há anos.

Do lado positivo, a S&P ponderou que os preços favoráveis do minério de ferro e a queda da demanda de aço mais branda do que a esperada reforçarão o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) e os fluxos de caixa da empresa.